Pular para o conteúdo principal

No meu tempo.



Todos os dias alguém vinha me dizer que eu precisava sair “dessa”. Dessa, no caso, significava fossa. Mas, convenhamos, quantos deles entendiam realmente o quanto eu estava machucada? Quantos deles algum dia se sentiu da mesma maneira que eu me sentia?

Não estou dizendo que a minha dor era maior do que a das outras pessoas. Não me entenda mal, apenas doía. E eu não queria ouvir que era besteira, me entende? Cada um enfrenta a dor da sua forma, é algo muito particular e sem fórmulas. E eu, bem, não sabia levar a minha dor de outra forma a não ser sentindo. Sentindo cada pontada no meu coração, revivendo cada lembrança, chorando, abraçando o travesseiro, enfim, me entregando.

E a tristeza é viciante. A tristeza, de alguma forma bizarra, acaba sendo uma boa companhia. Ela está sempre ali, sabe? Acordava triste e dormia triste. E quando sorria, era ainda mais triste. Não me sentia sozinha com a tristeza, pelo contrário, estar triste era saber que ele ainda estava presente na minha vida. Uma loucura reconfortante.

Mas até o que parece não ter fim, um dia tem. E essa "lei" serve para tudo, grava isso. Eu passei a me cansar de ficar dentro do meu quarto e o meu banho não demorava mais do que o necessário, sem que eu tivesse vontade de enrolar para conseguir chorar em paz. Ironia ou sorte, a tristeza, assim como ele, decidiu me deixar também. 

E, no meu tempo, eu finalmente saí de casa por vontade própria. No meu tempo, eu liguei o rádio numa estação aleatória, simplesmente porque eu queria ouvir música. No meu tempo, eu voltei a sorrir sem ser para agradar aos outros. 

E eu não me arrependo de ter me respeitado. Não me arrependo, porque eu não queria me tornar mais uma dessas pessoas que convivem com um fantasma adormecido que, vez ou outra, desperta para tirar a paz. Não me arrependo, porque eu precisei esgotar a minha dor, para que sobrasse espaço para a felicidade entrar. Não me arrependo, porque hoje eu só consigo olhar para frente e sentir esperança. Aguardando, finalmente, de coração livre e aberto, por tudo de bom que ainda há de vir.

Comentários

  1. O importante é você respeitar o seu tempo, seu momento. Na hora certa, você se levanta e recomeça. É importante curtir a dor para darmos mais valor às coisas boas.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Uau.
    Acho que a dor tem que ser sentida e respeitada.
    Falo sobre isso no meu blog também.
    Adorei o seu e agora serei uma visitante assídua.
    Abraços,
    http://sentimentalismodesmedido.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. We make fun go further with Money Back on every Spin, whether you win or lose. These sites steal your data or gather your money with out permitting you a good probability. You’ll be spinning the reels very quickly with a game of slots, and magnificence of|the great point about|the brilliant factor about} it's there are hundreds to choose from|to select from}. However, you'll like|if you'd like} a fresh this publish expertise, a glance at|try} the newest on-line on line casino with actual money games that 카지노사이트.online we advocate beneath. New on-line on line casino sites are perfectly legal in Australia as long as|so lengthy as} they're totally verified. If you need to place a guess rapidly during your lunch break, play a traditional card game for actual money.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Inspiração: ilustrando o amor

O meu tema preferido é o amor, mas acho que isso dá pra perceber né? rs E há  alguns meses eu vi uma matéria linda no site Hypeness  sobre um ilustrador coreano, Puuung , que se inspira em momentos simples, daqueles que a gente consegue enxergar claramente o amor no dia a dia de um casal, para criar suas ilustrações. Hoje ela apareceu novamente na minha timeline, e eu senti que precisava compartilhar por aqui esse trabalho tão incrível e que nos arranca sorrisos e suspiros.  Abaixo estão algumas das minhas preferidas, mas indico que vocês cliquem no link para conhecer melhor o ilustrador.  Sorte de quem consegue se identificar com os momentos ilustrados né? ♥

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Com o coração já tão despedaçado, o que mais eu tenho a perder?

Eu sei, eu estraguei a nossa noite que você tinha preparado com tanto cuidado.  Eu sei, eu fui covarde e imatura.  Eu sei, eu te assustei quando você acordou de madrugada e me pegou chorando na sala. A verdade é que eu entrei em desespero, ok? Porque eu senti o meu coração se abrindo. Eu acreditei em você, nas suas palavras, na verdade do seu sorriso ao me contar dos seus planos para gente, e caramba, não devia acontecer isso! O combinado era que eu não me entregaria a ninguém, o combinado era me manter distante e protegida.  Porque eu realmente não sei se estou preparada para encarar as minhas feridas, passar por cima dos meus traumas e me permitir ser feliz sem pensar no que pode ou não acontecer. É que é inevitável, a gente fica meio desacreditado, sabe? Ver a mesma história se repetindo tantas vezes... Por que logo com você seria diferente? Por que eu teria que te dar um voto de confiança? E, se quer saber, eu encontrei a minha resposta sem precisar responder coisa al