Pular para o conteúdo principal

Esperar vivendo.


Confesso que sempre adio até onde eu posso. Ocupo a  mente, canso o corpo, ignoro o coração. Mas sempre chega a tal hora: A hora de dormir. Sim, eu tenho pavor de me deitar na cama quando estou em alguma fase ruim. Parece que nela relaxamos, só que até demais e acabamos permitindo que os pensamentos, todos aqueles que a gente passa o dia inteiro se esquivando, cheguem sem chance de escaparmos. 

E como previsto, em questão de segundos, lá estou eu afogada em minhas perguntas sem respostas e em meus sentimentos confusos. O peito aperta, e se estivesse em pé, as penas estariam bambas. Perco a noção do tempo, passam-se horas e logo no dia seguinte, tenho uma prova na faculdade as sete horas da manhã. A vida me ama

Mas o lado bom é que a gente sempre dorme, mesmo que demore. Eu, pelo menos. Que ainda tenho dúvidas do que comanda mais em mim, o sono ou o meu coração. Aí esse orgão irritante acalma, volta a palpitar no seu curso normal. A mente desembaralha, começa a racionar. E o dia acorda lindo (só uma frase de efeito) e pronto. Mais uma chance de recomeçar, mais uma oportunidade de ser feliz. 

Você pode nem estar me entendendo, mas eu sou assim mesmo. Intensa para as duas coisas. Em um momento, eu estou sofrendo como se tivesse descoberto que tenho um câncer sem cura, sabe? Quando, o que aconteceu, foi que o carinha não me chamou para sair no final de semana. Aí eu desidrato e quando não tenho mais forças para sofrer, vem outro tipo de força que faz com que eu acredite cegamente até na cura impossível. Tenho absoluta certeza de que vou ficar bem, de que não vale a pena me descabelar. Resumindo: Sou bem exagerada, positivamente e negativamente.

E é isso... Eu morro de medo de me deitar, mas adoro a hora de me levantar. Traz aquela sensação de que passou. Ficou para atrás aquela noite, sabe? É óbvio que na realidade não é bem assim, mas dia após dia, as coisas realmente voltam ao seu lugar. E viver a dor intensamente, faz com que o estoque acabe mais rápido. Nunca tive dúvidas disso. Além do mais, todo mundo sabe que depois da tempestade, vem a calmaria. Sempre. O jeito é esperar, vivendo. 

Comentários

  1. Acredita que eu ja penso o contrario?
    numa fase ruim só quero minha cama, me fechar sabe? Não quero levantar e me desanimo por completo =/

    Adorei o blog ^^
    Beijos,
    Clayci

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é exatamente por isso! A cama desanima a gente e isso não é bom!!

      Excluir
  2. Já eu prefiro deitar que levantar, prefiro dormir pra esquecer.
    Mas, sei como é importante esperar acordado, vivendo. Porque dormir não resolve nada.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  3. Quando estamos esperando os sono vir é quando os pensamentos aproveitam e evem nos importunar.
    Acho incrível isso!
    Mas é a vida.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  4. Adoro sua escrita *-*
    Já passei por muitos dias em que não queria que chegasse a hora de dormir ....

    www.chadecalmila.com

    ResponderExcluir
  5. Antes de deitar, é hora da lista dos afazeres do dia seguinte igual aparece no filme NÃO SEI COMO ELA CONSEGUE.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Você realmente é intensa. Eu também sou. Sou daquelas que faz tempestade em copo d'água. Que cria um texto cheio de emoções quando, na realidade, "foi porque ele não ligou".
    Mas fazer o que, né? De tanto escrever aprendi a triplicar os sentimentos nas minhas palavras. Hoje em dia tenho dificuldade de soltar as palavras que quero dizer, sabe, sempre uso metáforas... Acho que isso é o mesmo com você. E ah, sobre a hora de dormir, não tem jeito! Às vezes fico tão cansada que nem dá tempo de pensar e acabo dormindo, mas o pior é que acabo sonhando com a tal reflexão que não fiz! Não dá pra fugir!

    Beijo, com Deus!
    http://tudo-oquesou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sou assim também por causa da escrita, dizem que os artistas são assim né? rs Deve ser uma explicação pra gente!
      Jura que sonha? Deve ser pior né?

      Excluir
  7. Preciso esperar com mais calma e paciência. Às vezes, a dor é intensa, mas não acaba o estoque de um dia para o outro. São vários dias. E mesmo que durante o dia ou antes de dormir, não dá para não pensar.

    Beijos, linda como sempre!
    Nepente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Tem fase que é realmente braba!
      Obrigada linda, tava sumida! rs

      Excluir
  8. Oi,
    Adoro seus textos!
    São tocantes e verdadeiros.
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oiii Maria*-* Gosto do jeito como vc escreve. Vc é muito intensa! Isso é bom sabia?! Eu era assim tbm mas sei lá.. aprendi a controlar isso... Não conseguia lidar muito bem, só nos meus textos rs bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rss é, realmente só é bom quando escrevemos!!
      Que bom que aprendeu! É algo que estou trabalhando ainda...

      Excluir
  10. Mas existe coisa melhor do que viver no limite, nos extremos, e experimentar todas as sensações e sentimentos a pleno vapor?! Eu adoro viver assim.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Odeio dormir, odeio esse meio tempo entre o deitar e o dormir onde os pensamentos desnecessário aparecem e fico lá na cama rolando, perdendo tempo que poderia muito bem ser utilizado para trabalhos ou descanso... mas estou numa fase mais relax, largando esse ‘drama por pouca coisa’ pro lado, não vou sofrer por quem não merece ou situações que não são tão importantes assim, e assim vou poder dormir em paz!
    Gostei muito do texto :D

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Também estou aprendendo a viver assim mais leve...
      Obrigada *-*

      Excluir
  12. "Sou bem exagerada, positivamente e negativamente."
    Seus textos sempre me definindo!

    Beijos
    http://setudopodeser.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Não estou indo para a forca!

Hoje o dia acordou cinzento e ensopado. Isso é diretamente responsável por 30% do meu mau humor matinal, tem coisa mais desanimadora do que acordar cedo no frio e com chuva? Liguei o chuveiro na temperatura pelando e sem pensar em horário, tomei um banho longo com o intuito de relaxar. Fiz um coração (e ainda escrevi a letra P) no espelho embaçado por causa do calor e após me arrumar, desci para tomar o meu café da manhã. Mamãe me deu um bom dia animado – mais que o normal. Papai apenas olhou para mim e sorriu de lado. E a minha irmã a essa hora ainda nem tinha levantado. Na televisão falava sobre exercícios importantes para o cérebro se manter ativo. Descobri que o meu deve estar para lá de sarado, porque a dica número um é ler . Enquanto o meu pão esquentava, eu arrumava a minha mochila para o longo e novo dia que estava por vir. Peguei o meu fone, “A Última Carta de Amor”, livro que estou lendo no momento e a minha carteira. Basicamente é disso que eu preciso. O celular já estava

2013

2013 . Quem se atreve a dizer que foi o melhor ou pior ano da sua vida? Se você consegue, sorte a sua! Para mim, confesso, ainda não consegui nem me decidir se foi um ano bom ou um ano ruim. Foi um dos anos que mais aconteceram coisas, muitas surpresas, decepções, novidades, recomeços...  Percebi que foram 365 dias bem divididos entre dias maravilhosos e dias tristes. E em cada área da minha vida tudo foi acontecendo de uma forma diferente da que eu esperava. Eu achei que em certo ramo estava estável e muito bem resolvida, mas exatamente nessa a vida me deu uma rasteira braba. Onde eu desejava tanto que algo acontecesse, não vi mudanças. Batalhei por objetivos que não foram alcançados, mas fui recompensada com surpresas incríveis.  E hoje eu posso ver que sobrou um imenso aprendizado. Aprendizado da vida, de mim mesma, das pessoas. Foi o ano em que mais fui exigida! Emocionalmente, com certeza. Mas também nas minhas responsabilidades, nas minhas relações, na minha mente