Pular para o conteúdo principal

A culpa foi nossa.


Vou fazer de conta que nada aconteceu. Vou fingir que nos perdermos por acaso, coisa do destino. Peças, armadilhas... Tudo isso faz parte né? Eu poderia esconder o sofrimento, me fazer de conformista e ouvir conselhos tolos de todas as pessoas. Você conseguiria também? Conseguiria fingir que não tivemos outra escolha? Conseguiria passar por mim e apenas sorrir como bons amigos e com isso, termos um fim de relacionamento ideal? 

As pessoas acreditariam


Mas o motivo real a gente sabe: A culpa foi nossa. E, convenhamos, geralmente a culpa é dos envolvidos na história, mesmo que seja mais fácil inventar desculpas esfarrapadas para disfarçar a covardia. Afinal, como eu já disse, os outros aceitam (ou simplesmente ignoram). Mas não podemos enganar a nós mesmo. Não ao teu coração e ao meu. Não quando cada parte de mim admite a culpa e a outra parte te culpa mais ainda. Vai dizer que você também não? 


Nós dois sabemos que, por todas as coisas que dissemos ou deixamos de falar, nós permitimos a chegada do fim. Pouco a pouco, ele se tornou inadiável, entre os erros meus e escolhas suas. Verdades, mentiras, medos. Em resumo, uma mistura de tudo que ouvi dizer que fazia mal ao amor. Mas tudo, exatamente cada um dos ingredientes fomos nós que escolhemos e isso tem de ficar muito claro.


Fomos nós que deixamos escapar a vontade de fazer a receita dar certo. Nós. Eu e você. Ninguém de fora, nenhuma força oculta, muito menos a – sempre culpada – vida. 


Comentários

  1. Ai, Carol, senti tanta falta dos seus textos!
    Bem, algo que fazemos com frequência é colocar o que os outros vão pensar na frente do nosso "bem estar", não é? Preferimos vestir a capa da felicidade e adiar o sofrimento a longo prazo, ao invés de assumir logo as dores pra que logo sejam curadas. Vícios da humanidade.
    Algo que me preocupa em namoros é chegar à monotonia. Quando fazer as escolhas certas ou se dedicar deixa de ser importante, sabe, como você disse, é meio que agir sabendo que vai dar errado mais cedo ou mais tarde... Só tenho uma pergunta pra você Carol - e espero que não seja impertinente - tem como evitar a monotonia? Tem como evitar os "ingredientes do mal" dentro do relacionamento?
    Espero que sim! Haha! =]

    Beijo, com Deus!
    http://tudo-oquesou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glendaaaaa, e eu senti muito a sua falta! Fui no seu blog HOJE! Ia comentar, mas achei que nem fosse ver... Que bom que voltou!!! ♥
      E respondendo a sua pergunta, eu acho que sim. Tem sim. Todo mundo erra né? Mas se quiser, dá pra acertar mais que errar. Dá pra cuidar, fazer durar. É difícil, mas dá!

      Excluir
  2. A verdade é que na maioria das vezes queremos culpar a vida, os outros, mas nós que somos os grandes culpados.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nós sempre queremos colocar a culpo em alguém pelos erros que cometemos. Às vezes, o fim é inevitável.

    Beijos, *-*
    Diário Nepente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As vezes sim, mas eu realmente acho que, geralmente, a culpa é de um ou dos dois envolvidos.

      Excluir
  4. Maria, que texto mais emocionante!
    Se tratando de relacionamento é complicado falar sobre, mas para o mesmo dar certo é necessário que dispunham de tudo que afinge e mostrar a sua alma a outra pessoa, é ter coragem de se despir, de sentimentos e ideias. Mas é difícil admitir que errou e que o relacionamento que uma hora era só alegria, agora só o silêncio restou.

    Um beijo <3
    http://desconstruindoocaos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. É doído, mas é verdade. A gente vive tentando culpar os outros, mas não existe culpa maior que a dos envolvidos. Principalmente quando as pessoas sabem que é a hora de lutar por aquilo e deixam as coisas passarem, como se tivesse tudo bem. Até que não estar bem se torna normal.

    Belo texto, Carol! <3

    Um beijo
    www.reinodascoisas.com

    ResponderExcluir
  6. exatamente, a culpa é SEMPRE nossa. Somos nós que fingimos que não vemos que tá tudo desmoronando, ou nós que achamos que não temos forças suficientes e por isso não nos empenhamos em lutar, nós, de fato, somos culpados dos nossos atos.
    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    ResponderExcluir
  7. Olá, muito bom seu texto. A mais pura verdade, geralmente a culpa é dos envolvidos na história!
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ai que triste...espero nunca passar por isso de novo.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Inspiração: ilustrando o amor

O meu tema preferido é o amor, mas acho que isso dá pra perceber né? rs E há  alguns meses eu vi uma matéria linda no site Hypeness  sobre um ilustrador coreano, Puuung , que se inspira em momentos simples, daqueles que a gente consegue enxergar claramente o amor no dia a dia de um casal, para criar suas ilustrações. Hoje ela apareceu novamente na minha timeline, e eu senti que precisava compartilhar por aqui esse trabalho tão incrível e que nos arranca sorrisos e suspiros.  Abaixo estão algumas das minhas preferidas, mas indico que vocês cliquem no link para conhecer melhor o ilustrador.  Sorte de quem consegue se identificar com os momentos ilustrados né? ♥

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Com o coração já tão despedaçado, o que mais eu tenho a perder?

Eu sei, eu estraguei a nossa noite que você tinha preparado com tanto cuidado.  Eu sei, eu fui covarde e imatura.  Eu sei, eu te assustei quando você acordou de madrugada e me pegou chorando na sala. A verdade é que eu entrei em desespero, ok? Porque eu senti o meu coração se abrindo. Eu acreditei em você, nas suas palavras, na verdade do seu sorriso ao me contar dos seus planos para gente, e caramba, não devia acontecer isso! O combinado era que eu não me entregaria a ninguém, o combinado era me manter distante e protegida.  Porque eu realmente não sei se estou preparada para encarar as minhas feridas, passar por cima dos meus traumas e me permitir ser feliz sem pensar no que pode ou não acontecer. É que é inevitável, a gente fica meio desacreditado, sabe? Ver a mesma história se repetindo tantas vezes... Por que logo com você seria diferente? Por que eu teria que te dar um voto de confiança? E, se quer saber, eu encontrei a minha resposta sem precisar responder coisa al