Pular para o conteúdo principal

Sobrevivemos!


Acho que toda mulher precisa, pelo menos uma vez na vida, ter a oportunidade de desfrutar da companhia de um babaca. Umas gostam tanto que ficam além do tempo indicado... Mas o que eu estou querendo dizer é que é com esse tipo que mais aprendemos e junto, nos descobrimos. Obviamente a gente leva muita porrada no início, porque eles são uns atores.
Mas depois de muitas noites em claro, de varias sms não respondidas e de tudo aquilo que com certeza você, mulher, sabe bem, a gente sai dessa história diferente. Eu aprendi a reconhecer um cara desses e melhor, lidar com eles. Vai dizer que você não? São todos tão previsíveis! Desconfio que deve ter alguma escola escondida nos esgotos para aprendizes...
Além disso, descobri que sou mais forte do que pensava. Eu achava que toda noite era a pior, que toda ligação rejeitada era o golpe final pro meu coração parar, mas vejam só: Eu estou aqui. Você também. Sobrevivemos. Temos história pra contar, risadas pra desfrutar, lições aprendidas e estamos vacinadas – a maioria, claro. E mais, temos a nossa liberdade de volta. Liberdade pra procurar um homem de verdade e mantendo sempre um olho aberto e o outro fechado pra qualquer mera semelhança com o último cafajeste que esbarramos.

Comentários

  1. Cafajestes...Uma coisa que algum dia desses vou ter que enfrentar na vida,porém,ainda sou nova,uahsauhsauas

    www.em-teusbracos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Todas as vezes que me envolvi com alguém do tipo, fiz com que provasse do próprio veneno, lhe fui indiferente, lhe ignorei tanto mais do que ele foi capaz de fazer, fui pior com ele do que ele poderia ser comigo.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Quem nunca se apaixonou por um canalha, né?
    Adorei o texto.
    beijos

    marinaalessandra.blogspot.com
    @mariinaale
    @maioordeidade

    ResponderExcluir
  4. O bom desses caras babacas é que com o passar do tempo, nós sabemos e aprendemos a lidar com eles. Na primeira vez ou as vezes até na segunda, é quando quebramos a cara, mas a partir da terceira já é mais fácil de identificar um. Isso, é claro, se você realmente aprende de seus primeiros erros. rsrs
    Amei o texto!
    beijos
    http://oicarolina.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. São todos iguais. Deve realmente haver uma escola. Mas o melhor de tudo é mesmo após algumas "porradas", nós mulheres aprendemos a lidar com eles e sempre damos a volta por cima.


    Beijos
    www.mundodavee.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Mari ^^ Quanto tempo que não vinha aqui rsrs! Vim pra avisar que estou escolhendo um texto seu pra postar lá no blog, como eu prometi pra você :D Se tiver um bem legal e que você goste, me avisa que eu quero ler e postar lá no blog ><

    Beijos :*
    pequena-julieta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Amei o texto e é a mais pura verdade, mas não acho que são todos iguais, com o tempo aprendemos a escolher os certos xD

    Beijinhos e ja estou seguindo.

    http://www.blogdajoanna.com/

    ResponderExcluir
  8. Existem alguns homens assim ... alguns não ! Muitos ! mas existem também os homens que sabem amar, que sabem ouvir e que sabem fazer uma mulher feliz ! Mas são essas laranjas podres que muitas vezes aparecem na nossa frente e nos fazem desacreditar no amor e na verdade !
    Hoje tenho comigo além de um marido meu melhor amigo ! Companheiro pra toda hora !
    Realmente ilusão não mata ninguém, todo mundo sobrevive todo mundo se arrebenta e aprende !


    Beijo no coração gata !


    http://www.blogmenosemais.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo, e em nenhum momento no texto eu disse que não existiam homens legais, tanto que finalizo dizendo que temos a liberdade de procurar homem de verdade. E eu, graças a Deus, ja encontrei o meu também. Mas é inegável que existem muitos cafajestes por aí né??

      Excluir
  9. Acho que toda mulher já passou por essa fase do 'cara errado', há algumas que tem a sorte de não, se apaixona pelo primeiro, casa e são felizes. Mas, há outras (like me) que já se interessou por um tipo não muito agradável e se arrepende depois. Mas o jeito, é seguir em frente e aprender com o erro.

    http://senhoritapriscila.blogspot.com
    Curti a fan page? (www)
    @priscilafrr,
    beijo.

    ResponderExcluir
  10. Você está certa, no final a gente sobrevive, o problema todo é sobreviver mas em qualquer sinal dele a gente simplesmente esquece o que valia antes: a nossa própria felicidade. Pode ser bom, ótimo, perfeito, mas o ruim desses caras é que quando finalmente achamos que vai dar tudo certo eles chegam lá e acabam com tudo, mas não dizem que de tanto insistir no erro a gente aprende e depois acerta? Espero que seja assim! Beijooo

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Ahh concordo com voce haha
    bjs

    www.izabellagrimaldi.com

    ResponderExcluir
  12. Complicado isso rsrs esses caras parecem que tem tudo que a gente quer ouvir, mas não vale nem uma moeda de um real né, como voce disse, a gente tem que saber lidar com eles rsrs
    Beijinhos
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Hey lindona!!
    Um arraso de blog!!!
    Boa noite ;)
    http://isabellalessa.com/

    ResponderExcluir
  14. Canalhas, fazem sofrer, mas sofrimento sempre trás aprendizados.

    ResponderExcluir
  15. Concordo ...esses seres aparecem deixando uma lição pra nós !
    E nunca mais repetir o mesmo erro ....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Não estou indo para a forca!

Hoje o dia acordou cinzento e ensopado. Isso é diretamente responsável por 30% do meu mau humor matinal, tem coisa mais desanimadora do que acordar cedo no frio e com chuva? Liguei o chuveiro na temperatura pelando e sem pensar em horário, tomei um banho longo com o intuito de relaxar. Fiz um coração (e ainda escrevi a letra P) no espelho embaçado por causa do calor e após me arrumar, desci para tomar o meu café da manhã. Mamãe me deu um bom dia animado – mais que o normal. Papai apenas olhou para mim e sorriu de lado. E a minha irmã a essa hora ainda nem tinha levantado. Na televisão falava sobre exercícios importantes para o cérebro se manter ativo. Descobri que o meu deve estar para lá de sarado, porque a dica número um é ler . Enquanto o meu pão esquentava, eu arrumava a minha mochila para o longo e novo dia que estava por vir. Peguei o meu fone, “A Última Carta de Amor”, livro que estou lendo no momento e a minha carteira. Basicamente é disso que eu preciso. O celular já estava

2013

2013 . Quem se atreve a dizer que foi o melhor ou pior ano da sua vida? Se você consegue, sorte a sua! Para mim, confesso, ainda não consegui nem me decidir se foi um ano bom ou um ano ruim. Foi um dos anos que mais aconteceram coisas, muitas surpresas, decepções, novidades, recomeços...  Percebi que foram 365 dias bem divididos entre dias maravilhosos e dias tristes. E em cada área da minha vida tudo foi acontecendo de uma forma diferente da que eu esperava. Eu achei que em certo ramo estava estável e muito bem resolvida, mas exatamente nessa a vida me deu uma rasteira braba. Onde eu desejava tanto que algo acontecesse, não vi mudanças. Batalhei por objetivos que não foram alcançados, mas fui recompensada com surpresas incríveis.  E hoje eu posso ver que sobrou um imenso aprendizado. Aprendizado da vida, de mim mesma, das pessoas. Foi o ano em que mais fui exigida! Emocionalmente, com certeza. Mas também nas minhas responsabilidades, nas minhas relações, na minha mente