Pular para o conteúdo principal

O sorrisos que não deveriam existir.


- Uma xícara de café grande, por favor. – Eu disse a garçonete.

Ela fez que sim com a cabeça, sorriu e saiu depressa. E eu ando tão carente que, por um segundo, isso me feriu. Quão amarga pode se tornar a vida depois de um pé na bunda? Não me canso de me fazer essa pergunta. Só a resposta que parece infinita.

Foi quando entrou um casal de adolescentes pela porta da lanchonete. Riam alto, estavam de mãos dadas, mas se tocavam o máximo que o bom senso permite (ainda bem!). Eu nunca tinha reparado o quanto parecemos bobos quando estamos apaixonados e de bem com a vida. Não é um pouco absurdo? Eles mal reparam nas pessoas que estão a sua volta, simplesmente vivem em uma bolha perfeita e feliz. Não reparam que eu estou aqui sentindo dores de barriga com essa cena.

E eu não queria ser pessimista e espero que não interpretem isso como uma praga ou algo do tipo... Só que bolhas são frágeis e é muito fácil que, num piscar de olhos, elas simplesmente estourem. Obrigando-nos a acordar, obrigando-nos a aceitar que a felicidade dura muito pouco nessa vida. Mas não desejo isso, só falo por experiência própria. Juro.

A atendente voltou, sorriu novamente e colocou o meu pedido na mesa, mas saiu logo em seguida. Eu nem tive tempo de agradecer. O café estava bem amargo, mas não me preocupei em colocar açúcar ou adoçante. Quando estamos no meio do poço, como eu, bate aquela curiosidade de saber quão fundo ele é. E eu não quero subir nem um centímetro, quero contagiar todas as coisas a minha volta com a minha depressão (patética) pós-término.

E, por causa do sorriso sem graça e sem vida da garçonete, me ocorreu que sorrisos são tão falsos quanto as pessoas podem ser. Ou quanto uma obra de arte pode ser. Não o sorriso do casal que está na minha frente. Nem o que a minha mãe me dirige quando me vê. Mas o sorriso que a garçonete me deu ao trazer o meu pedido. O sorriso que eu dou todos os dias para os meus colegas de trabalho, há duas semanas. O sorriso que a minha namorada me deu, após me contar que estava com outro cara, me desejando felicidades.

Esses sorrisos não deveriam existir, pois não refletem o que há verdadeiramente por dentro. Qual o sentido de escondermos o que sentimos? Poupar a nós ou aos outros? Só um pensamento.

Comentários

  1. Concordo, tudo o que não é sincero não deveria existir, esses sorrisos sem emoção real, são dose...

    Beijos

    http://manuellamontesanto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Texto mega lindo, arrasou.
    Beijos
    http://blogdabellas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Concordo em termos. É aquilo né, ninguém também tem culpa da sua dor, então não pode simplesmente querer descontar a "infelicidade" em quem não tem a ver com tudo aquilo. Às vezes até mesmo os sorrisos de apenas "por educação", sem razão nenhuma por trás deles além disso, podem mudar o dia de alguém. É verdade sim que quando a gente tá apaixonado vivemos dentro de uma bolha feliz, mas fazer o que né? Faz parte. Porque sempre que se apaixonar, acontece de novo e de novo, então acho que é todo um processo né? Primeiro se apaixona e vive como se não houvesse algo mais feliz que aquilo, depois se machuca e vive como se não houvesse dor pior que aquela. Respondendo a pergunta, sim, acho que escondemos o que realmente sentimos pra principalmente poupar de fato os outros do que nós mesmos. E depois, a si próprio. Gostei do texto, porque apesar dos apesares, é assim que a gente se sente mesmo.

    xx, www.ladodecoragem.tk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu não acho que seja bem uma questão de concordar com tudo. Afinal, quando estamos sofrendo, adoramos pensar besteiras, não acha? Tudo é feio, errado, complicado...
      Esse texto é para mostrar o pensamento de um cara que acabou de levar um pé na bunda e como ele mesmo diz, a vida se tornou amarga!

      Excluir
  4. Amei, eu li umas 3 vezes, na hora que desci pra comentar vi sua resposta em um comentário e entendi perfeitamente, o cara ta no fundo do poço, não ve graça em nada, só queria sorrisos sinceros . Amei
    To seguindo aqui e curti a fan Page flor, pode retribui?
    Blog: http://ingridegoes.blogspot.com.br/
    Fan page: http://goo.gl/hNmEGx

    ResponderExcluir
  5. Amei! E também dei muitas risadas com o texto!
    Você disse muitas verdades, como a amargura do "fundo do poço", o encantamento da "bolha do amor" e a falsidade dos "sorrisos por obrigação"! Realmente é assim, compreendi muito bem a parte dos sorrisos.

    Beijo,
    http://tudo-oquesou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura que deu? Adoro escrever textos sarcásticos, que bom que gostou!!
      E mais ainda que entendeu e gostou das "verdades" que eu coloquei no texto!! ♥

      Excluir
  6. Eu amo a maneira como você escreve. Quando crescer quero ser como você.
    Realmente, sempre que acontece algo ruim na nossa vida queremos ver só o pior nas coisas. E, uma contradição: poupamos os outros dos nossos sentimentos ruins ao dar/retribuir um sorriso, mesmo que falso. Nós, humanos, somos seres extremamente estranhos.

    Nepente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, você me mata com os seus comentários sabia?? *-*
      Mas não é? Nós preferimos poupar aos outros enquanto afundamos aos poucos... Mas pior que isso, são os sorrisos que escondem muita coisa por trás, como o da namorada dele. Absurdo, não acha? rs

      Excluir
  7. Amiga texto maravilhoso quando lavamos um pé no traseiro
    achamos que todo mundo deveria nos ajuda, mais a vida não
    é assim e por isso tudo na nossa frente é chato. amei o texto
    você arrasou.
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Adorei o texto, achei muito legal.. Gostei muito da forma com que você fala sobre os sorrisos..

    http://www.paaradateen.com
    http://www.facebook.com/PAARADATEEN

    ResponderExcluir
  9. Pois é acho que sempre que estou mal fico tentando poupar os outos dos meus sentimentos

    http://artedeviver-be.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Por outro lado esses sorrisos mostram o quanto podemos ser fortes e não deixar que outras pessoas sofram o nosso sofrimento. Tenha um final de semana abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem essa forma de enxergar a situação, e é verdade. Mas de qualquer forma, tem sorrisos que parecem ser cínicos, parecem estar sendo colocados em momento errados. Não acha?

      Excluir
  11. Os sorrisos mais lindos são os sinceros, mas alguns mesmo não tão sinceros se tornam necessários.

    Arrasando sempre ein minha linda.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  12. Lindo, Carol!!
    As vezes eu fico pensando assim também. O jeito de encarar o sorriso muda conforme a gente muda. Quando estamos mal, encaramos sorrisos como afrontas. Quando estamos bem, sorrimos sem perceber que podemos estar afrontando alguém que está mal... é engraçado isso!

    Um beijo
    www.naotenhopressa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso! A gente enxerga as coisas conforme estamos nos enxergando, nosso coração, nossa vida...

      Excluir
  13. É difícil "esconder" frustrações... ele estava triste, mas nem por isso amargou o casal "feliz", a garçonete poderia ter sido mais gentil, principalmente porquê ela trabalha com público. Parabéns pelo lindo texto. beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Quando estamos mal, tudo doi um pouco mais, incomoda um pouco mais... rs
      Obrigada!! =)

      Excluir
  14. Nunca pensei em sorrisos dessa maneira, realmente existem várias formas de sorrisos ruins e bons é difícil. Se puder passa lá no meu blog para conhecer.

    Bloody Kisses
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  15. Ah, verdade! Quando uma pessoa tão mal, o que mais precisa é de palavras sinceras, e sorrisos verdadeiro. Mas, fingir é uma coisa tão natural ultimamente, que nem percebemos que estamos nos ferindo e ferindo a outras pessoas.

    http://destinoincertoo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. GENTE DO CÉU, ME APAIXONO CADA TEXTO MAIS POR VOCÊ!
    Lança um livro, pelo amorrrrr!!
    Acredito que seja pra poupar-nos de pena, sabia? Mostrar uma não fragilidade evitar certos olhares de pena, sempre foi assim comigo, e eu sempre fui assim, queria encharcar tudo com a minha dor, ou com a minha alegria, haha. Parabéns pelo texto, ♥

    www.mabeato.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha liiiiinda! É um projeto, é um projeto!! *----*
      Muuuuuuuuito obrigada por alegrar o meu dia com seu comentário!!
      Aham, acho que é exatamente isso Marcella! Também sou assim rss

      Excluir
  17. Adorei o texto. Me lembrou o trecho de um livro que ando tentando ler: Homens, dinheiro e chocolate!

    Xerim :)
    www.trilouca.com/
    Instagram:@Trilouca

    ResponderExcluir
  18. Oi, Carol!

    Uau, um dos textos que mais gostei! *-*

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Infelizmente fazemos isso com as pessoas: preferimos dar um sorriso falso do que ser sincera com os nossos amigos ou colegas e assumir quando estamos tristes para as pessoas que realmente importam! Acho que todo mundo já pessoal pelo que o protagonista do texto passou, esse lance de contagiar as pessoas com sentimentos negativos quando estamos tristes!
    Ótimo texto, Carol!
    Meu Filme virou Livro

    ResponderExcluir
  20. Sabe... no começo pareceu pessimista.. mas foi mais pro realista mesmo!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Não estou indo para a forca!

Hoje o dia acordou cinzento e ensopado. Isso é diretamente responsável por 30% do meu mau humor matinal, tem coisa mais desanimadora do que acordar cedo no frio e com chuva? Liguei o chuveiro na temperatura pelando e sem pensar em horário, tomei um banho longo com o intuito de relaxar. Fiz um coração (e ainda escrevi a letra P) no espelho embaçado por causa do calor e após me arrumar, desci para tomar o meu café da manhã. Mamãe me deu um bom dia animado – mais que o normal. Papai apenas olhou para mim e sorriu de lado. E a minha irmã a essa hora ainda nem tinha levantado. Na televisão falava sobre exercícios importantes para o cérebro se manter ativo. Descobri que o meu deve estar para lá de sarado, porque a dica número um é ler . Enquanto o meu pão esquentava, eu arrumava a minha mochila para o longo e novo dia que estava por vir. Peguei o meu fone, “A Última Carta de Amor”, livro que estou lendo no momento e a minha carteira. Basicamente é disso que eu preciso. O celular já estava

2013

2013 . Quem se atreve a dizer que foi o melhor ou pior ano da sua vida? Se você consegue, sorte a sua! Para mim, confesso, ainda não consegui nem me decidir se foi um ano bom ou um ano ruim. Foi um dos anos que mais aconteceram coisas, muitas surpresas, decepções, novidades, recomeços...  Percebi que foram 365 dias bem divididos entre dias maravilhosos e dias tristes. E em cada área da minha vida tudo foi acontecendo de uma forma diferente da que eu esperava. Eu achei que em certo ramo estava estável e muito bem resolvida, mas exatamente nessa a vida me deu uma rasteira braba. Onde eu desejava tanto que algo acontecesse, não vi mudanças. Batalhei por objetivos que não foram alcançados, mas fui recompensada com surpresas incríveis.  E hoje eu posso ver que sobrou um imenso aprendizado. Aprendizado da vida, de mim mesma, das pessoas. Foi o ano em que mais fui exigida! Emocionalmente, com certeza. Mas também nas minhas responsabilidades, nas minhas relações, na minha mente