21 setembro 2011

Inexplicavelmente coerente.

Ouço frequentemente que o amor basta. Mas eu não me canso de perguntar, até quando? Quando o amor não suporta mais as bordoadas de dois aprendizes dessa eterna escola que é o amar? Quando o amor não é mais tão forte a ponto de segurar todo o peso colocado sobre ele? É ingenuidade, quem acredita que o amor supera tudo. Certos casos sim, outros não. Quem pode prever o que não pode ser previsto? Viver esse sentimento requer cuidado e inteligência, ambos os sentidos que perdemos no exato instante em que nos apaixonamos por alguém. Onde eu quero chegar é que, mesmo contra a vontade, mesmo quando o coração grita o inverso ou quando o viver não é mais atraente sem aquela pessoa, às vezes se faz necessário. Com inquietação e sofrimento, mas irremediavelmente necessário. 

Maria Carolina Araujo

0 comentários:

Postar um comentário