29 outubro 2013

Tende a melhorar ou piorar?

Já viram a promoção que está rolando no blog? Estou sorteando um livro de contos em que eu participo! Ele vai autografado por mim e por vários outros autores :) Participe aqui.


Eu nunca fui de me apaixonar facilmente, mas isso acontece, ouvi dizer. Nas melhores famílias e nas pessoas mais duronas - igual a mim. Mas agora, o que eu faço? Continuo aqui sentada e peço mais uma dose da bebida mais forte ao garçom ou saio correndo em direção a casa dele para assumir o que estou sentido? Desconfio que nenhuma das duas alternativas sejam realmente boas. Visto que a primeira, depois de tantas que já bebi, terminaria na segunda. E a segunda é burrice.

Vou permanecer sentada e pedir uma garrafa de água. E assim empurrar goela abaixo esse amor maluco que o meu coração acolheu, me pegando de surpresa. Enquanto eu estava preocupada com quem andava atrás de mim, ele apareceu na minha frente sem que eu percebesse e aí já era tarde. Não pude me proteger, não coloquei a minha armadura. E agora estou aqui.

Acho essa cena um pouco patética, confesso. Mas o amor é patético, então, está tudo certo. Estou fazendo tudo como manda o figurino, ficando boba quando ele se aproxima, sentindo as pernas tremerem e arranjando desculpas bestas para esbarrar e falar com ele. Já percebi que ele acha graça do meu não jeito para isso. Pior do que normalmente acontece com os apaixonados, eu ando me atrapalhando em mim mesma. E a verdade é que a única coisa que eu quero saber é quando isso passa. Alguém sabe? Tende a melhorar ou piorar?
   
Detesto imaginar que posso ficar ainda mais ridícula - e apaixonada - do que estou.

24 outubro 2013

Deus, como eu queria amá-lo!

*Já viram a promoção que está rolando no blog? Estou sorteando um livro de contos em que eu participo! Ele vai autografado por mim e vários outros autores :) Participe aqui.


Deus, como eu queria amá-lo! Amor de cinema, de comédia romântica, de novela feito Malhação. Eu queria amá-lo como todas as adolescentes dizem que amam. Eu queria amá-lo como o meu avô diz amar a minha avó. Eu queria amá-lo de coração, de corpo e alma.

Porque ele sorria todas as vezes que eu falava alguma besteira na frente de sua família. E mesmo quando eu fingia ser quem eu não era, ele apertava as minhas mãos me encorajando a relaxar. Ele tinha orgulho de mim, como isso é possível? Nem meus pais tinham tanto orgulho em me apresentar como filha enquanto ele, ao falar que eu era sua namorada, seus olhos brilhavam.

Ele nunca teve vergonha de mostrar os seus sentimentos, para mim e para o mundo. Sabia todas as músicas da minha cantora preferida, assistia comigo todos os filmes bestas que mulheres adoram. Passava horas no shopping me acompanhando nas compras e ainda fazia massagem no meu pé quando chegávamos em casa.

Também nunca me contrariou e isso é, reconheço, a sua melhor qualidade. Ele sabia me contrariar, sem me deixar notar isso. Ele me acalmava quando eu estava revoltando com o mundo e me fazia rir para que eu percebesse que estava exagerando (novamente) em mais algum ataque de estresse.

Ele era tão meu. Tão fácil de lidar. Tão fofo e engraçado. E todos diziam que éramos feitos um para o outro... Mas para mim perdeu a graça cedo demais, muito mais cedo do que eu queria, muito mais cedo do que todos aqueles relacionamentos de famosos!

E eu o vi chorar pela primeira vez quando disse que precisava terminar e também o vi ser lindo pela última vez ao me pedir um último abraço. Eu sabia que tinha feito a coisa certa, deixando-o livre para alguma pessoa que o mereça de verdade. Mas eu queria ser a merecedora. Deus, como eu queria amá-lo! 

21 outubro 2013

Sobre o lançamento + sorteio

Oi gente linda, primeiramente eu gostaria de agradecer por tantos comentários no outro post. Foram palavras de incentivo, elogios e vi o quanto vocês realmente ficaram felizes com a minha conquista. Muito, muito obrigada mesmo!

Por esse motivo, sinto-me na obrigação de contar para vocês um pouquinho de como foi lá né? Então, o evento em si foi muito bacana e tive a chance de encontrar com outros autores iniciantes e também com outras publicações, dividindo experiências e trocando conselhos. Um pouco antes do lançamento, teve um bate papo com o diretor da editora, os organizadores das antologias e todos os autores presentes, o que, para mim, foi um momento de muito aprendizado!


Quando chegou a hora do lançamento, foi uma surpresa muito boa! Troca de autógrafos entre os autores da antologia, autógrafos para os convidados e participantes do evento, muuuuuuuitas fotos! Foi um momento muito divertido e descontraído... E eu me senti uma estrela!!! hehe


Bom, foi um experiência muito especial para mim que me incentivou a não desistir desse meu sonho. Continuar escrevendo e mostrando ao mundo um pouco de mim, dos meus pensamentos e visão de mundo.


Abaixo, uma simples montagem que fiz com alguns momentos do lançamento:



E é lógico que eu não poderia esquecer de vocês!!! Separei um exemplar do livro para sortear entre os meus leitores!! :) Não consegui pegar o autógrafo de todos os autores, até porque nem todos estavam lá, mas fiz questão de conseguir alguns e deixar o livro ainda mais especial para vocês! E claro, assim que eu sair o nome do vencedor, eu também farei uma dedicatória viu?

Vamos as regras?

- Seguir o blog publicamente;
- Curtir a fanpage no Facebook;
- Preencher o formulário abaixo:

Simples vai? O sorteio vai até o dia 3 de Novembro e o resultado sairá no dia  4 de Novembro aqui no blog e lá na fanpage. 

O livro, posso garantir, é lindo e cheio de amor ♥


Boa sorte pessoal! E prometo que no próximo post volto com meus textos hehe

Beijos,

16 outubro 2013

Minha primeira conquista!

Meus amores, hoje não trago um texto e sim venho contar uma novidade! Como vocês já sabem, eu amo escrever, tanto que esse blog foi criado como um local para guardar (e expor) tudo que eu escrevo. Mas, quem escreve vai concordar comigo, um dos maiores sonhos de um escritor é ter algo publicado. 


E, vejam só, chegou a minha vez! Ainda não estarei lançando um livro só meu, mas será lançado no próximo sábado, dia 19 de Outubro, uma antologia chamada Amores (Im)possíveis, organizada pela Andross Editora e nela terá um conto meu. Como o nome já diz, é um livro repleto de contos que mostram as diversas faces do amor.

Para muitos isso não é nada, mas para mim é como se fosse o primeiro passo, é um incentivo, porque alguém acreditou no meu trabalho. Além de ser um orgulho imenso ter em mãos algo escrito por mim e eternizado em forma de papel. E lógico, eu que já li o livro todo antecipadamente, fico lisonjeada de fazer parte de uma coletânea tão magnífica, cheia de autores excelentes que, assim como eu, estão lutando para conseguir conquistar o seu espaço. 

Olha o convite personalizado que a editora fez!

Podem ver que nele constam todas as informações relevantes. E com ele deixo aqui o meu convite a quem for de São Paulo e quiser dar uma passadinha lá para me conhecer, comprar* esse livro que garanto que é excelente ou mesmo participar do evento (Livros em Pauta) que terá diversas palestras e bate papos interessantes para todos os amantes da escrita.

*Ah! Quem tiver o interesse de comprar o livro e for de outro estado, entre em contato comigo; Estarei vendendo mais barato do que nos sites das livrarias depois do lançamento.

Beijos e muito obrigada por todo o incentivo que eu recebo através daqui também,

13 outubro 2013

Já estou bem!


Fica bem, ele me disse. Na hora eu mal prestei atenção em suas palavras. As lágrimas inundavam o meu rosto e o som da minha dor, me impedia de ouvir muita coisa. Ele se distanciou de mim e com passos largos e lentos, como se não soubesse ainda para onde ir, mas segundos depois, sumiu em meio as pessoas e carros da avenida. Eu continuei parada por alguns minutos, processando, me trazendo a realidade, procurando um chão para me apoiar.

Fica bem, ele me disse. O que ele queria dizer com isso? Ou melhor, o quanto de verdade tinha em suas palavras? Afinal, como eu poderia ficar bem se eu só conhecia esse estado quando estava em paz com ele? E foi por isso que tanto eu me rebaixei, tanto me sacrifiquei para que conseguíssemos ficar juntos. 

Fica bem, ele me disse. E eu gostaria de ter perguntado se ele também ficará bem. Se ele conseguirá se lembrar de seus compromissos, se ele conseguirá dormir a noite sem o meu cafuné. Se ele será aprovado em suas provas sem mim para ajuda-lo a estudar, se ele terá, agora, uma boa relação com a sua mãe sem a mim para aconselhá-lo em suas atitudes.

Fica bem, ele me disse. Frase típica de homem covarde, não é? Jogar a responsabilidade para outra pessoa, tirar o peso de cima de si mesmo e se ver livre novamente. Como eu nunca percebi esse seu jeito egoísta? 

Fica bem, ele me disse. Limpo assim o meu rosto ensopado e começo a caminhar, com passos curtos e acelerados, porque eu sabia o que tinha que fazer da minha vida. Sempre em frente, é o que dizem. Existe o amor e existem diversos outros sentimentos. O que houve entre nós dois estava longe de ser considerado amor – esse é uma via de mão dupla. Já estou bem. E a mensagem de texto foi enviada com sucesso.

06 outubro 2013

Somos nós.


Talvez o amor seja observá-la dormindo, tentando adivinhar o que está sonhando. Talvez seja sentir o seu hálito ao acordar e ainda assim querer beijá-la por tempo indeterminado. Pode ser que o amor seja todas as vezes em que eu roxo de raiva continuo esperando na sala, fingindo assistir a qualquer coisa na TV enquanto ela ainda está secando o cabelo. Desconfio que possa ser naqueles momentos em que a gente se olha em meio a tantas pessoas e não diz nada, porque não precisa. Também quando eu a busco em seu emprego e quando ela sorrir com os lábios e os olhos por causa da surpresa. O amor talvez seja as vezes em que conversamos até tarde da noite, no escuro, enrolados na coberta, um acomodando o outro com o corpo. O amor pode ser quando sinto o cheiro de seus cabelos e do seu pescoço, quando dormimos de conchinha ou quando sinto o seu suor em minha pele quando passamos a noite em claro. Talvez seja a ligação que ela me faz todos os dias pela manhã só para me acordar, o carinho que me faz quando estamos assistindo algum filme. O amor talvez seja isso ou nada disso. Mas o amor, isso eu sei, é ela. Sou eu. Somos nós. Puro e simplesmente, amor.