28 abril 2013

Quero você comigo.


Quero que me veja com a cara amassada todas as manhãs, mas com um sorriso iluminado por acordar ao seu lado. Quero me veja resmungando, cantando no chuveiro e me atrapalhando ao tentar fazer o nosso almoço. Quero que sente comigo no sofá e veja um filme qualquer, me veja chorando com as cenas de amor e gargalhando alto com as cenas bobas. Quero que durma de conchinha comigo ou que lutemos pelo cobertor de madrugada, mas que antes de dormir, me ouça falar sobre o meu dia. Quero que a gente se desentenda, mas resolva tudo com o diálogo. Aliás, quero que sejamos confidentes. Quero que você não desista quando as coisas estiverem meio monótonas, mas que corra atrás para trazer emoção a nossa relação. Meu amor, quero você na minha rotina. Quero que o tempo passe. Quero dividir as prestações da nossa casa, passear com o nosso cachorro e levar os nossos filhos ao parquinho. Quero almoços em família, quero que perceba cada nova ruga que nascer em meu rosto e que eu me encante com cada novo fio branco do seu cabelo grisalho. Quero viver junto, lado a lado, dividindo as alegrias e tristezas. Se surpreendendo e aprendendo com o lado bom e o lado ruim da vida a dois. Quero você dividindo um presente comigo e todos os dias planejando e realizando – simultaneamente – os nossos sonhos. Quero, na verdade, reciprocidade. Felicidade recíproca, respeito recíproco e principalmente, amor recíproco. Pra vida toda.

25 abril 2013

Busca sem sentido.


Toda vez que eu fecho os olhos, eles se abrem pra você. Toda vez que eu durmo para te esquecer, os meus sonhos te trazem pra mim. Parece ironia, parece injusto, mas cheguei à conclusão de que não, é apenas a vida me lembrando que eu não consigo sem você.
Te deixei, disse que precisava de um tempo sozinha. Queria navegar pelo mundo, descobrir terras novas. E realmente eu descobri muita coisa. Descobri que lá fora é tudo mais complicado e sombrio. Descobri que as pessoas não sorriam com tanta facilidade e que o amor andava sumido para muita gente e foi nessa que a minha ficha caiu. Elas estavam buscando por algo de que eu estava fugindo,

que sentido isso tem?
Demorou demais para que eu percebesse que eu tinha tudo que eu precisava bem ao meu lado. Não levei a sério a lei simples da vida de que toda escolha tem uma consequência e a minha, bem, não demorou muito para chegar. Eu te deixei escapar. Te deixei livre demais e com isso, te perdi. Soube que você está feliz e que tem sido visto com uma nova garota por aí. Quem sabe ela não te dê o seu devido valor? Enquanto eu ficarei aqui torcendo para que exista outro cara como você pelo mundo.

22 abril 2013

Aceitando o destino.



Não queria que fosse assim. Você sabe né? Eu não queria que acabasse cada um pra um lado sem saber mais nada do outro. Pensei em te ligar esses dias, mas deixei que a vontade passasse sozinha. Pensei em colocar para tocar aquela musica que eu dizia ser nossa, mas não achei no computador – devo ter excluído em um dos momentos de raiva – e acho que foi melhor assim. 
Não sei porque estou dizendo isso, mais uma recaída talvez. Mas é que se lembrar de como éramos e dos passos dados juntos para nada alcançar me deixa inquieta. Pergunto me todas as noites onde foi que erramos. E se faz parte da vida levar comigo tanta tristeza e essa sensação de impotência. Impotência por não poder mudar as coisas, tristeza por querer fazer isso. Entende? Tenho medo quando tudo começa a ficar confuso em minha mente, porque quero te ver feliz, mas por que longe de mim? Me sinto esgotada em relação a nós, porque não sobra um pingo de força em mim. 
Mas o meu coração não para de pedir, não para de implorar que eu procure, porque deve ter em algum canto algo que me impulsione a ir atrás de você. Mas eu não saio do lugar, porque eu sei que não é certo. Comigo. Com você. Com a gente. Fomos felizes enquanto era pra ser. E se estamos aqui, é porque a felicidade não estava mais tão presente, tinha sobrado só a vontade de estar junto e isso, o que pra mim é muito difícil de entender, nem sempre é suficiente. Tenho que me lembrar disso de vez em quando, porque só assim tenho forças para aceitar que o nosso destino é seguir por caminhos distintos.

18 abril 2013

Seja bem-vindo amor-próprio.


Saí por aquela porta dizendo que nunca mais voltaria. Ele não acreditou, eu já tinha dito essas mesmas palavras tantas vezes. Mas eu sabia que uma hora seria de verdade, devo ter falado as outras vezes para ir me preparando psicologicamente ou coisa parecida. E foi. Eu fui e não voltei. Ele ainda me esperou, ouvi dizer. Eu também estava esperando não aguentar ficar longe dele, mas não é que aguentei?
Passou o primeiro dia, a primeira semana, o primeiro mês. E chegou junto o primeiro beijo de outro cara. Foi bom sabe? Durou pouco tempo, mas não pensei em nada durante aqueles minutos. A vida seguiu o seu rumo, eu nem sei onde ele está, como anda, se ainda usa o cabelo bagunçado que eu reclamava. Não faço ideia se ele está feliz, se casou ou se ainda se lembra da gente. Mas nem quero saber, deixa pra lá.
Eu disse nunca mais, nunca mais de gritos e noites sem dormir, nunca mais daquele amor doentio onde a cura só encontrei depois. Eu disse nunca mais e isso é forte demais, exige coragem sabia? Coragem que descobri que tinha, mas estava escondida entre tanto orgulho picotado. Coragem de verdade, não aquela que você dizia ter, só por falar o que pensava e magoar os outros de graça.
Fui atrevida, deixei quem eu era – ou achava que era – e fui procurar pelo meu eu melhor. E encontrei, sabe. Encontrei pedaços de mim por aí, o meu orgulho se reergueu, a felicidade voltou para a mim. Desde então, tenho dito nunca mais para a via de mão única. E, todos os dias, repetido 'seja bem-vindo amor-próprio'.

10 abril 2013

Simples adeus.


O problema não é você, sou eu. Falo isso bem clichê mesmo, porque o meu objetivo é ser clara. A culpa é toda minha e você não errou em nenhum momento, pode ficar tranquilo. Você me deu tudo. Pena esse tudo ser pouco. Pena ser um tudo que não me satisfaz por muito tempo, que me cansa, me incomoda. Eu sou complexa mesmo, totalmente o avesso do resto do mundo.
Quando você chegou (assim como foi com todos os outros antes de você), eu pensei que enfim tinha encontrado quem conseguisse me prender. Novamente me enganei. Novamente fui vítima de mim mesma, das peças que o meu coração adora pregar em mim e nos outros. Eu me entreguei e sou assim, me entrego mesmo. Sigo o meu coração cegamente. Ele queria você e eu fiquei. Foram meses maravilhosos, não pense que vivi de forma diferente da sua, mas ele se cansou. Eu não queria, entende? Só que sou dependente, sou escrava de suas vontades.
E então eu preciso ir. Porque não gosto de enrolação, prolongação do que não tem mais para onde propagar. A gente não pode perder tempo, porque enquanto fazemos isso, a vida corre e qual seria o sentido? Eu quero ser feliz. Seja onde e com quem for. E desejo o mesmo pra você, fique sabendo. Porque, para fechar, mais uma vez clichês falam por mim “Não imagine que te quero mal, apenas não te quero mais”.

Maria Carolina Araujo

07 abril 2013

Perfeito pra nós.

E quem pode dizer o que nós somos? Mais que amigos, menos que namorados. Algo no meio disso, às vezes mais pra lá do que pra cá, às vezes o inverso. Graças a Deus! Melhor te ter sem rótulo, sem norma pré-elaborada. Melhor saber que sou tua, simplesmente porque você é o melhor pra mim. E você continua comigo porque precisa de mim por perto. Você cuida de mim e eu nunca tiro os meus olhos de você. De vez em quando a gente procura alguma novidade por aí, mas obviamente, sempre voltamos um pro outro. Porque o seu abraço é a minha casa, sem clichês, de verdade. Você conhece o que eu tenho de mais podre e o que tenho de mais nobre. E eu sei de cor todos os seus trejeitos, desejos e segredos. Quando estamos juntos somos um do outro, do momento, do nosso sentimento. Há quem diga que somos loucos, indecisos e que só pode ser carência. Mas sabemos que o que temos realmente é difícil de ser colocado em palavras, complicado de ser entendido, raro de ser vivido. A gente não complica, simplifica. A gente se ama do nosso jeito, torto pra alguns, perfeito pra nós.

Maria Carolina Araujo

05 abril 2013

#TAG

Oi gente, hoje a postagem vai ser um pouco diferente do que costuma ser. O blog O Mundo Colorido da Nina me indicou para fazer essa tag, que será a minha primeira aqui. Eu achei muito legal, porque assim vocês já me conhecem um pouco mais. Vamos lá:

11 coisas sobre mim:

#1) Sou fã da Sandy desde que me entendo por gente.
#2) Amo comédia romântica e qualquer desses filmes clichês.
#3) Amo a cor abóbora.
#4) Meu sonho é casar e principalmente ser mãe.
#5) Não vivo sem livros e música.
#6) Sou voluntária da JMJ =)
#7) E voluntária também da ONG Sonhar Acordado.
#8) Odeio falar ao telefone, mas amo trocar mensagens.
#9) Minha série preferida é Pretty Little Liars, sou viciada demais!!
#10) Odeio gente fingida, assuma o que você é e aguente as consequências.
#11) Amo escrever, meio óbvio isso né?

11 perguntas:
 
#1) Um sonho: Ser escritora com livro publicado.
#2) Uma desilusão: Quando acho que o meu texto ficou ótimo, mas não consigo muitas curtidas nele (na minha página) rs
#3) O que faria se saísse o euromilhões: Guardaria grande parte, mas viajaria MUITO!
#4) Prato favorito: arroz a piamontese com filé mignon e batata frita.
#5) Um desafio: Ser menos transparente, meu rosto não esconde o que eu penso/sinto.
#6) O que te deixa feliz: Nada definido, fico feliz com pouca coisa. Mas um mimo do meu namorado é certo que me faz bem.
#7) Um desejo: Conhecer a Sandy!!!
#8) Se o mundo acabasse agora, o que você faria: ficaria perto da minha família.
#9) Uma tortura: estudar exatas  matemática, física, química.
#10) Viagem dos sonhos: Grécia.
#11) Uma coisa que não gosta: mentira.

Blogs indicados:

Espero que tenham gostado! Logo logo eu voltarei com os meus textos de sempre!

Beijos,
Maria Carolina Araujo
 

01 abril 2013

Sorte no amor.


Para com essa história de que tem azar no amor. E desde quando existe isso? Coisa mais sem cabimento! É mais fácil você ter azar no jogo mesmo, mas não no amor. Por que? Ele tá aí, disponível até demais e tanta gente se esquivando. E ainda querem culpar o pobre coitado! O que falta é sensibilidade, atenção aos detalhes. Ou você acha que ele, grandioso como é, vai chegar com uma placa ou uma sirena para que você o note? Não mesmo. Ele vem em silêncio, chega tomando conta, mas sem avisar. E é bem ligeiro também, ele não pode te esperar para sempre. Seja compreensiva vai, ele tem um mundo inteiro para rodar e se levar para as pessoas. Não pode ficar esperando que você o perceba e depois ainda que você se decida se é ou não a hora certa. Por isso, não sai por aí falando mal dele não, menina. Já viu trabalho mais ingrato que esse? Traz tanta coisa boa pra vida de uma pessoa e no final, acreditem, ainda conseguem estragar com a sua fama. Vai ver é por isso a falta de amor nesse mundo, todos se deixando levar pelas más línguas, pela loucura e descrença alheia.

Maria Carolina Araujo