Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

Carta a ele.

Oi Pedro,
Não esperava encontrar uma carta sua em meio ao amontoado de correspondências aqui de casa. Foi uma surpresa boa, confesso. As coisas estão muito bem na minha vida, voltei ao Brasil há menos de duas semanas, por isso, demorei a responder.
Ao terminar de ler a sua carta, parei para pensar no quanto o amor vai muito além de sentir borboletas no estômago. Ele é cruel e doloroso, obriga-nos a ser mais forte do que imaginamos ser e no final, ainda assim, sobram boas lembranças.
Você se lembra quando eu te falei que nunca havia sofrido tanto por alguém, dias antes de embarcar? Meu coração precisava te dizer aquilo. Desculpe se te magoei, mas hoje eu posso dizer que são os opostos que o amor nos proporciona. Eu te amei como nunca havia amado também. E quando nos perdemos, o sofrimento inédito seria inevitável.
Ainda me lembro da sua voz, mesmo que vagamente. Ainda me lembro do quanto adorava andar de toalhas pela casa e a cada dia fazer uma nova dança engraçada para mim, enquanto eu te…

Um dia como autora.

A semana passou lentamente. Mais que isso, se arrastou, parecendo brincar comigo e com a minha ansiedade. Foi nessa semana que algumas pessoas próximas a mim descobriram a minha paixão por escrever. Porque eu não fazia muita questão de espalhar aos quatro ventos, afinal, eu nunca soube bem onde encaixar a frase ‘eu escrevo’ em meus diálogos.
E quando chegou o dia anterior (o dia em que eu viajaria), eu não estava mais nervosa, porque mesmo com a pequena mala já pronta e a animação de minha família, a ficha ainda não tinha caído.
Foi quando deu 02:30 da manhã e o ônibus enfim saiu da rodoviária que eu provavelmente acordei. Eu estava com um fone no ouvido, mas sem prestar atenção na música que tocava, porque muitas coisas passavam pela minha cabeça. Eu decidi reler o meu conto e o fiz umas três vezes e em cada uma delas ficava mais insegura. O que iriam achar dele? Nunca me achei boa suficiente, no entanto, as coisas estavam começando a acontecer para mim... Só que cada exposição é um r…

Serviu de lição.

As pessoas vivem se perdendo uma das outras, já cansei de ouvir histórias. Mas eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer com a gente. Sabe, éramos o casal perfeito. Não estereotipado, mas até nós mesmos nos enxergávamos assim. Porque tínhamos defeitos, mas levávamos muito bem todos os problemas. E foi assim por dois anos. Dois lindos e memoráveis anos.
Até que nos perdemos. Assim, do nada, num piscar de olhos. Estávamos distantes um do outro, mas vivíamos nos esbarrando. Como se a casa tivesse se tornado pequena demais para nós dois. Como se precisássemos de mais espaço. Logo a gente que vivia grudado para cima e para baixo, logo a gente que adorava dividir uma cama de solteiro...
Até hoje eu me pergunto como foi que aconteceu. Erro meu? Erro dele? Nunca soube. Nunca encontrei uma resposta plausível, a não ser, erro dos dois. Pequenos, mas sucessivos. Minúsculos, quase invisíveis aos olhos. Mas completamente reconhecíveis pelo coração - aquele que sempre vê além. 
As pessoas dizem q…

Uma das melhores sensações do mundo.

Dia desses, encontrei com um rapaz pelo qual fui apaixonada durante todo o meu ensino fundamental. Ele nunca foi lá grande coisa, mas o amor a gente não escolhe né? E nós, meninas, temos a mania de gostar de quem não gosta da gente. Simples assim. É moda, é o assunto, é o que faz as meninas serem fortes mais para frente. E esnobar aos mesmos.

Foi na festa de um amigo nosso, que eu não sabia que era amigo em comum. Vi de longe, mas fiquei na dúvida se era ele mesmo. Francamente, ele usava uma bermuda que cabia dois dele e um tênis que eu me recuso a chamar de branco. Tinha uma tatuagem enorme de dragão no braço e eu sempre me perguntei qual o motivo de alguém tatuar um dragão. Usava boné, isso mesmo, boné. Em uma festa. À noite. Desculpem aos adeptos, mas para mim não existe coisa mais ridícula. E para fechar com chave de ouro, estava segurando dois cigarros na mão. Dois.

Quando me viu, me observou por alguns segundos e logo veio em minha direção. Eu queria fugir. Não porque o meu coraçã…

Resultado da promoção!

Oi gente querida, hoje eu trago o resultado do sorteio do livro Amores (Im)possíveis em que eu participo com um conto!!

E a sortuda foi..................


Vivian!!

Parabéns a vencedora! Entrarei em contato por e-mail e Facebook e se após 48 horas eu não receber nenhuma resposta, farei um novo sorteio!

Obrigada a todos que participaram!! Em breve teremos muitas outras promoções =)

Beijos,