Pular para o conteúdo principal

O amor acaba.


Amor acaba. Assim como tudo na vida, e eu aprendi isso com John Green, as coisas são construídas para depois desmoronar. É um pouco trágico e assustador pensar na vida dessa forma, mas ao mesmo tempo, é reconfortante. É, talvez, uma explicação plausível para tudo que aconteceu.

O nosso amor acabou. Digo o nosso e não o seu, porque o amor de verdade é vivido a dois, quando somente um ama, se chama outra coisa. E eu não vou dizer o que é, porque também não sei. Só sei que dói (e quem sabe esse sentimento se chame dor?). Só sei que traz um desespero um pouquinho sufocante. É como querer gritar, mas lembrar que está rouco, sabe?

O nosso amor acabou. Aos poucos e tão rápido! Não tive chance de tentar reverter a situação. Não deu tempo de correr atrás e arrastá-lo de volta (nem que tivesse sido a força). Não deu. E ter de me acostumar com os seus olhos sem brilho foi a pior coisa que eu já experimentei. Aceitar que eu não era mais a causa da sua respiração descontrolada e do seu sorriso mais sincero foi a parte mais difícil de todo o nosso fim.

O nosso amor acabou. Mas eu nunca me culpei, porque a gente simplesmente vai vivendo e fazendo as coisas conforme vai dando vontade, conforme as situações nos permitem, conforme tem de ser. Eu errei tanto, e ainda assim, tenho certeza que acertei muito mais. Tenho a minha consciência tranquila, porque eu fiz tudo que estava ao meu alcance para que desse certo. Além do mais, você me fez prometer que eu não me sentiria culpada, e eu estou cumprindo, rapaz.

O nosso amor acabou. E eu também não te culpo. Não mais. Hoje eu sei e aprendi a aceitar que sim, amor acaba. Sem maiores explicações, sem drama desnecessário, sem tanto peso nas costas de um ou de outro. Acaba, só isso.

Comentários

  1. Me identifiquei com o texto (somo sempre) hahahaha, estamos em sintonia nos sentimentos não é possivel isso...

    ResponderExcluir
  2. Eu acredito que o amor não acaba, o que acaba é a paixão e a atração o desejo esses sentimentos derivados, mas o amor é eterno (minha opinião)
    Tem resenha no blog BeijoOoO
    Blog Livros com café

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já acreditei nisso também...
      E espero que não mude sua opinião! É melhor viver acreditando nisso!

      Excluir
  3. lindo texto , realmente tudo acaba assim como o amor já tive paixões que era tudo lindo depois chegava ao fim www.mandaliveira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo. O amor realmente acaba. Sei lá. Eu acredito em amor a primeira vista, sabe todas essas coisa.
    http://pensamentosdefabs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Realmente o amor pode acabar, afinal as coisas podem sim ser destruídas. Amei seu texto ^^

    http://passaro-de-inverno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Tá aí uma coisa que eu não sabia, é verdade que o amor acaba?
    Me lembrei de um casal que conheço que, ao completar 50 anos de casados, o marido disse mais ou menos assim "quanto mais convivo com ela (esposa), mais eu me apaixono"! Então, se o amor realmente acaba, as lembranças de uma vida juntos devem ser suficientes pra que "não acabe".
    Enfim, só vivendo mesmo pra saber, né?

    Beijo, com Deus!
    http://tudo-oquesou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que eu quiser dizer com esse texto é que o amor pode acabar sim. Existem amores que duram uma vida toda, outros que duram um ano. O que não significa que o segundo não seja amor, entende? Eu acredito que existam diversos tipos de amores e não devemos desmerecer os que duram menos. Era amor também, só acabou mais rápido.
      Mas sim, só vivendo! São minhas suposições, mas que crédito eu tenho, tendo apenas 21 anos? Vi nada da vida ainda! rs

      Excluir
  7. ótimo texto... é duro aceitar quando um amor acaba mais a vida tem dessas coisas.
    Bola pra frente sempre!
    Beijos :*

    http://www.aqueladosviinte.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. "e eu aprendi isso com John Green", HAHA. O que mais me frustra nos livros dele é que nunca têm um final definitivo, sempre sofro com isso...
    Sou de acreditar no amor (mas não pra mim). Mas é, às vezes ele acaba. É só a vida seguindo em frente, eu acho.

    Tá rolando um sorteio lá no meu blog, passa lá e vê se te interessa!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendi mesmo!!! rs Já leu Quem é Você, Alasca?
      Também acho... As coisas mudam, faz parte.

      Excluir
  9. Ai linda, amei o texto e o seu blog, sucesso.

    http://henryquemckenziee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. A partir do momento que você aceita que sentimentos morrem, acabam, dormem, enfim, mudam, a sua vida passa a ser mais leve e você não se cobra tanto, nem cobra a outra pessoa haha
    Enfim, adorei o texto.

    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    ResponderExcluir
  11. Muito bom o texto, o amor é um sentimento incrivel né?! Mais como tudo nesse mundo infelismente um dia ele acaba.

    Tem Promoção no Mix: Promos Os Heróis do Olimpo | Mixação

    ResponderExcluir
  12. Que texto lindo! É bom desapegar e aceitar as coisas, né? Sentimentos são assim mesmo, começam e acabam, que nem histórias e tudo mais que existe no mundo. Amei mesmo ♥
    http://totalmenteanta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não tenha medo de amar.

Uma coisa que eu aprendi a não ter medo é de amar. Sabe, igual todas as meninas tem? Preferem crucificar os homens, postar textos do Caio Fernando Abreu no Facebook e fica oscilando entre fingir ter amor-próprio e gritar ao mundo o quanto está sofrendo por um babaca qualquer. Parece que é mais fácil reclamar do que mudar uma realidade. Do que arriscar novamente.

Azar do cara que te largou, que te trocou, que te fez sofrer. Bola para frente, ele não é o último homem da face terra e pensando pelo lado positivo, menos um idiota que encontrará pelo caminho. Sua chance de esbarrar com alguém bacana aumentou em alguns por centos, não vê?

Generalizar que todos os homens não valem nada, que a vida é injusta, que você nunca mais vai querer outro relacionamento, sinceramente, não vai adiantar de nada. Quando o amor chegar novamente, não vai ter como fugir e tendo essas besteiras como pensamento, só vai atrasar (ou até mesmo estragar) toda uma história que te estava reservada. Você vai ficar se …

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário.
É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu?
Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embarangar. Prefiro e…

Obrigada por me fazer acreditar de novo.

Eu nunca fui medrosa, embora tenha sentido muito medo nos últimos meses. Medo de ser feliz de novo. Medo de me machucar mais uma vez. Medo de me fechar para o mundo e acabar me tornando mais uma dessas pessoas que só reclamam da vida. E o que eu mais senti, foi medo de deixar de acreditar nas pessoas e no amor.
E isso me destruía dia após dia. Ao mesmo tempo em que me sentia aliviada por achar que estava me protegendo naturalmente de novas decepções, não conseguia enxergar essa “nova eu” como a melhor saída. Afinal, existe algo mais triste que isso? Existe algum sentido em viver sem acreditar – seja lá no que for? Posso apostar que não!
Mas você me apareceu. E não foi amor à primeira vista, nem à segunda e desconfio que nem à vigésima vez. Foi muito mais bonito e entorpecente. Foi amor quando eu parei de olhar para trás. Foi amor quando eu queria te ver em um dia em que tudo estava dando errado para mim. Foi amor quando eu sorria ao receber uma mensagem sua de bom dia. Foi amor aos pouc…