28 janeiro 2013

Vem.


Vem pra mim. Mas vem com calma, vem com jeito. Não venha como furação me deixando perdida, bagunçando os meus cabelos e ao ir embora, deixando tudo um caos. Vem feito brisa, me fazendo bem. E não se vá. Deixa eu te sentir por mais tempo. Deixa o arrepio ser constante e o sorriso permanente. 

Maria Carolina Araujo

0 comentários:

Postar um comentário