Pular para o conteúdo principal

O amor que eu quero.


O meu ponto de ônibus fica em uma praça e enquanto eu esperava que ele viesse, vi um casal de velhinhos que estavam brigando. Feio mesmo, e ao final, a senhora o deixou falando sozinho. Ele ficou bastante sem graça e olhando para mim, deu um sorriso como quem diz “faz parte” e foi atrás dela. Eu que não consegui parar de olhar aquela cena (em parte porque achei, no mínimo, diferente), ver aquele senhor ir atrás de sua esposa, me chamou muito a atenção. Quem sabe o errado era ele e ela, cansada de mais um erro, foi embora para esfriar a cabeça? Quem sabe era mais um exagero de mulher, mais um show que nós, modéstia a parte, adoramos fazer? Quem sabe ainda foi só uma briga boba que logo iria passar? Mas nada disso importa, a questão é que ele foi atrás dela. E isso, nos dias de hoje, compete de igual para igual com o seu oposto: deixar pra lá. As pessoas desistem fácil, não querem lutar, não querem se sacrificar. E isso pode ser qualquer coisa, menos amor. Não me venha com essa história de amor-próprio porque esse é fundamental e eu reconheço o seu valor, mas em uma relação verdadeira ele não é tão primordial assim porque outras coisas são igualmente importantes. O fato é que o amor que eu conheço é ceder de vez em quando, porque é imensa a vontade de estar junto e bem, acima de tudo. O amor que eu quero para mim é igual ao desse casal, que provavelmente já discutiu diversas outras vezes durante o seu casamento, mas que ainda assim, o senhor foi atrás, não deixou de lado, sem sentir vergonha por isso. Porque amar é confiar e por isso, um pensa no outro e não sente falta de pensar em si mesmo, porque tem certeza que o seu parceiro está fazendo esse papel muito bem.

Maria Carolina Araujo

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário.
É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu?
Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embarangar. Prefiro e…

Busca sem sentido.

Toda vez que eu fecho os olhos, eles se abrem pra você. Toda vez que eu durmo para te esquecer, os meus sonhos te trazem pra mim. Parece ironia, parece injusto, mas cheguei à conclusão de que não, é apenas a vida me lembrando que eu não consigo sem você.
Te deixei, disse que precisava de um tempo sozinha. Queria navegar pelo mundo, descobrir terras novas. E realmente eu descobri muita coisa. Descobri que lá fora é tudo mais complicado e sombrio. Descobri que as pessoas não sorriam com tanta facilidade e que o amor andava sumido para muita gente e foi nessa que a minha ficha caiu. Elas estavam buscando por algo de que eu estava fugindo,
que sentido isso tem?
Demorou demais para que eu percebesse que eu tinha tudo que eu precisava bem ao meu lado. Não levei a sério a lei simples da vida de que toda escolha tem uma consequência e a minha, bem, não demorou muito para chegar. Eu te deixei escapar. Te deixei livre demais e com isso, te perdi. Soube que você está feliz e que tem sido visto com…

Sorte no amor.

Para com essa história de que tem azar no amor. E desde quando existe isso? Coisa mais sem cabimento! É mais fácil você ter azar no jogo mesmo, mas não no amor. Por que? Ele tá aí, disponível até demais e tanta gente se esquivando. E ainda querem culpar o pobre coitado! O que falta é sensibilidade, atenção aos detalhes. Ou você acha que ele, grandioso como é, vai chegar com uma placa ou uma sirena para que você o note? Não mesmo. Ele vem em silêncio, chega tomando conta, mas sem avisar. E é bem ligeiro também, ele não pode te esperar para sempre. Seja compreensiva vai, ele tem um mundo inteiro para rodar e se levar para as pessoas. Não pode ficar esperando que você o perceba e depois ainda que você se decida se é ou não a hora certa. Por isso, não sai por aí falando mal dele não, menina. Já viu trabalho mais ingrato que esse? Traz tanta coisa boa pra vida de uma pessoa e no final, acreditem, ainda conseguem estragar com a sua fama. Vai ver é por isso a falta de amor nesse mundo, todos…