12 março 2013

Quero viver.


Tô disposta. É isso mesmo que você ouviu. Já me escondi demais, me guardei só pra mim, e já tá passando de amor-próprio e virando egoísmo - comigo mesma. Foi necessário, é verdade. Eu estava precisando ficar sozinha, ter a minha casa pra mim, trancar as portas e não deixar que nada e nem ninguém entrasse. Tava liberado sair, as dores, temores, ilusões e vontade sem sentido. E aos poucos tudo isso foi realmente embora, sobrou somente a mim. A de sempre, longe das confusões, cheirando a paz. O coração voltou a ser ritmista, o sorriso não é mais fingido e nem me lembro qual foi a última vez que eu chorei por alguém, porque continuo a chorar em filmes. Então, eu me diagnostiquei curada. Me dei alta e estou reabilitada a viver a vida por completo, a viver um amor. E por isso eu não vou mais fugir, virar os olhos e te dar desculpas fajutas. Eu vou ficar aqui, não é isso que você quer? Eu também. Vamos tentar. Tô pronta pra novas loucuras, preenchimento de sentimentos e vontades. Tudo que eu tinha para me dar, eu me dei. Agora falta a sua parte, combinado? Traz amor, mas traz também leveza. Porque sendo leve, não sufoca, não tira o sono, só faz flutuar e sorrir, por qualquer coisa.

Maria Carolina Araujo

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Acho que todo mundo precisa dar um tempo a si mesmo de vez em quando, né? Se recuperar e amores e perdas... Amei teu texto, você escreve super bem♥
    Beijos!

    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada linda!! Seja sempre bem-vinda! =)

    E adoro o seu blog também!

    ResponderExcluir