Pular para o conteúdo principal

De grão em grão...


Hoje eu me dei conta de que estava diferente. Não cortei o cabelo e muito menos estou mais magra. Continuo baixinha e com as pontas loiras no cabelo. Achei que era bobagem minha, afinal, a gente não muda de repente, não é? Mas encontrei um amigo que me disse que tinha notado algo de novo em mim, mas não sabia o que era. Uma amiga, um pouco depois, fez um comentário semelhante, dizendo que algo tinha mudado comigo. Sorri interiormente, meu coração aqueceu.

E eu voltei para casa, depois de uma manhã inteira ansiando por um momento de reflexão. E enquanto ouvia um CD de rap que ganhei de um amigo, consegui parar para pensar sobre a minha vida atualmente. Algo que a gente tem um pouco de dificuldade de fazer, já percebeu? Talvez por medo de perceber algo que não queremos saber – ou que tenhamos tentado ignorar anteriormente.

Mas então, eu percebi coisas boas - a meu ver. Percebi que estou mais paciente. E isso é algo que eu nunca soube ser, nunquinha, em toda a minha vida. Pela primeira vez, estou calma, com o coração desacelerado. Perdi a pressa de viver, de ver as coisas acontecerem. Simplesmente tenho vivido o momento, cada segundo, sem pensar no próximo. Simplesmente tenho deixado acontecer, sem me desesperar.

Além disso, percebi que ganhei maturidade e isso, eu sei, nunca é demais. Maturidade essa que me faz enxergar mais o lado bom dos acontecimentos, que me faz aceitar certas imposições da vida de maneira mais pacífica. Posso garantir que é complicado, afinal, é tão mais fácil sair por aí reclamando das coisas né? Tão mais fácil jogar tudo para o alto e desistir. Mas estou aprendendo. Estou me controlando.

Não estou querendo dizer que estou melhor, sabe lá se dessa forma, estou levando a vida do jeito certo. Mas ouvi dizer que o importante é se sentir bem, correto? E eu estou muito feliz comigo mesma, não sei explicar, mas estou satisfeita. Sinto-me mais minha, como se tivesse mais próxima de mim e sabendo de detalhes que não tinha notado. Sinto-me mais confiante, mais forte e segura nas coisas que faço, sinto e falo.

Não me iludo achando que tenho o controle da situação, afinal, isso nem existe. O controle é uma ilusão e completamente traiçoeiro. Mas, pela primeira vez, percebo que perdi o medo de mudar de direção. Assim como quem escolhe um atalho para chegar ao destino final, em vez de seguir pela avenida principal - que todo mundo usa. Se não der certo, a gente muda de novo. E mais uma vez, se preciso for.

Pequenas mudanças internas que, ao contrário do que eu havia pensado, não foram de uma hora para outra. Foram bem aos poucos, poderia dizer até que demoradas demais. Mas enfim, eu reparei. As pessoas estão reparando. Eu estou bem. A felicidade é bem mais simples do que imaginamos, basta a gente aceitar essa sua simplicidade e não fantasiá-la ou projetá-la em coisas grandiosas. "De grão em grão, a galinha enche o papo", conhece esse ditado? É mais ou menos por aí. 

Comentários

  1. è bom quando nos sentimos diferente.
    Não sei dizer se posso me descrever assim, apenas sinto que estou empolgada e muito com muitas coisas em relações ao blog, o meu problema é que não tenho paciência de esperar as coisas acontecerem e sempre acabo estragando por querer ser rápida nas coisas, mesmo falando que esperei 9 meses p nascer, 15 anos para aprender a beijar é estranho eu sei mas não consigo esperar em relação a coisas do blog. Vai entender. kk



    Kisu
    www.eraoutravez.com

    ResponderExcluir
  2. Ser mais paciente é muito bom ... que bom que está conseguindo isso :)

    www.chadecalmila.com

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o teu blog, e estou amando os textos. E sobre esse texto... é bom quando percebemos que mudados para melhor ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thalita! *-*
      É sim né? Ficamos satisfeitos e mais incentivados!

      Excluir
  4. Nossa, você fez o texto que define a vida de qualquer um. Adorei! A minha irmã tem mania de sonhar, sonhar e sonhar, dai ela vai atrás do sonho, vê que não da certo e larga de lado, ela não vai conquistando aos poucos, sabe? Ela quer que tudo saia como ela sonhou assim rápido e de cara. E não é bem assim né? Adorei a frase final "A felicidade é bem mais simples do que a gente imagina, basta a gente aceitar essa sua simplicidade e não fantasiá-la ou projetá-la em coisas grandiosas." vou postá-la no meu facebook, haha!

    Bitocas!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  5. Seu texto me fez refletir bastante sabe. Não adiante a gente ter pressa de que as coisas aconteçam logo, esse é o mau de hoje em dia. Você escreve muito bem flor.
    Blog: http://teoremademari.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente... Mas quem disse que é fácil né? É um processo essa mudança rs
      Obrigada *-*

      Excluir
  6. Acho que estou exatamente assim também, inclusive meu post atual é sobre isso. Incrível como as mínimas mudanças por dentro refletem na parte de fora, e por conseguinte refletem em toda a sua vida.
    http://www.canseidesernerd.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa me identifiquei muito! Ainda não consegui mudar muito, largar o falso "controle" da situação e coisas do tipo mas continuo tentando que uma hora eu chego lá rs Ótimo texto, como sempre (:

    Beijo,
    http://almostthemoon.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é fácil mesmo, mas uma hora todo mundo consegue (se quiser!). Obrigada *-*

      Excluir
  8. Texto incrível, Carol.
    Tô congelada na parte do "Sinto-me mais minha". Que sensação boa, não é? Coincidentemente, hoje eu decidi parar sozinha pra comer um Mc Donalds e pensei bem nisso: em mim, na minha companhia. As vezes é bom a gente parar pra reparar esses detalhes, essas coisinhas que mudam dia a dia um pouquinho na gente.

    Um beijo
    www.naotenhopressa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karla!!! *-*
      Exatamente, é muito boa essa sensação. Diferente de qualquer outra!

      Excluir
  9. O tempo vai passando e nós mudamos, passamos por várias experiência e quando vemos, estamos bem melhor, bem conosco mesmo e mais leve.

    www.iasmincruz.com

    ResponderExcluir
  10. Ah, o tempo ajuda a mudar a vida de muitas pessoas que dão lugar para o mesmo. Muito bom como você se descreveu, sua palavras foram sinceras, e você conseguiu nos passar um pouco de você. O cd de rap deve ser muito bom mesmo hein.. Ah, sobre a impaciência, eu sou um ser assim, mas, que bom que você está conseguindo controlar.

    http://destinoincertoo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownn obrigada *-*
      E bom, eu gosto muito de rap, me inspira!! rs

      Excluir
  11. Que bom que está se sentindo melhor, Carol! Não há nada melhor que estar satisfeita consigo mesma, não é?
    Somos um pouco diferentes, sabe, eu sou muito, muito paciente! Apesar de ficar ansiosa algumas vezes, sempre tento manter minha paciência...
    Sobre meu último texto, te aviso que respondi seu outro comentário! Haha! Li o texto novamente e percebi o quanto eu estava "desesperada" quando o escrevi, aliás, a inspiração sempre aparece em momentos assim, né? Mas, enfim, super obrigada pelos seus conselhos! Sei o quanto você acredita no amor e sempre vou me lembrar disso! Estou bem, confiante e, claro, paciente!!

    Beijo,
    http://tudo-oquesou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Essa é a minha maior busca!
      Pelo que te conheço do blog, percebo que é mesmo paciente e eu admiro isso! Estou me tornando aos poucos.
      Ah... COM CERTEZA! A gente escreve quando está com os sentimentos a flor da pele! rs Vou lá ver o que a senhorita me diz... E que bom que me enxerga dessa forma, porque acredito mesmo. Não sei por que, mas acredito! rs

      Excluir
  12. Essa é uma das coisas que escrever revela em nós, essa capacidade de reflexão, de autoconhecimento. Consequentemente amadurecemos e enxergamos a vida de uma maneira mais clara. É como se uma sensibilidade maior despertasse o eu lá dentro.


    Beijos

    manuellamontesanto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso... Por isso que eu amo escrever, é a melhor forma de organizar um caos, muitas vezes, desnecessário.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Não estou indo para a forca!

Hoje o dia acordou cinzento e ensopado. Isso é diretamente responsável por 30% do meu mau humor matinal, tem coisa mais desanimadora do que acordar cedo no frio e com chuva? Liguei o chuveiro na temperatura pelando e sem pensar em horário, tomei um banho longo com o intuito de relaxar. Fiz um coração (e ainda escrevi a letra P) no espelho embaçado por causa do calor e após me arrumar, desci para tomar o meu café da manhã. Mamãe me deu um bom dia animado – mais que o normal. Papai apenas olhou para mim e sorriu de lado. E a minha irmã a essa hora ainda nem tinha levantado. Na televisão falava sobre exercícios importantes para o cérebro se manter ativo. Descobri que o meu deve estar para lá de sarado, porque a dica número um é ler . Enquanto o meu pão esquentava, eu arrumava a minha mochila para o longo e novo dia que estava por vir. Peguei o meu fone, “A Última Carta de Amor”, livro que estou lendo no momento e a minha carteira. Basicamente é disso que eu preciso. O celular já estava

2013

2013 . Quem se atreve a dizer que foi o melhor ou pior ano da sua vida? Se você consegue, sorte a sua! Para mim, confesso, ainda não consegui nem me decidir se foi um ano bom ou um ano ruim. Foi um dos anos que mais aconteceram coisas, muitas surpresas, decepções, novidades, recomeços...  Percebi que foram 365 dias bem divididos entre dias maravilhosos e dias tristes. E em cada área da minha vida tudo foi acontecendo de uma forma diferente da que eu esperava. Eu achei que em certo ramo estava estável e muito bem resolvida, mas exatamente nessa a vida me deu uma rasteira braba. Onde eu desejava tanto que algo acontecesse, não vi mudanças. Batalhei por objetivos que não foram alcançados, mas fui recompensada com surpresas incríveis.  E hoje eu posso ver que sobrou um imenso aprendizado. Aprendizado da vida, de mim mesma, das pessoas. Foi o ano em que mais fui exigida! Emocionalmente, com certeza. Mas também nas minhas responsabilidades, nas minhas relações, na minha mente