06 agosto 2013

Tenho mais do que pensava.


Estou desempregada e acho que dessa forma as coisas se tornam mais difíceis. No quesito autossatisfação porque não posso fazer compras, no quesito amor porque realmente me sinto um lixo sem poder ir ao salão e no quesito pessoa mesmo e a explicação desse é óbvia.

Mas mesmo assim fui convidada a ir a uma festa interessante, em um hotel chique da cidade. A minha família tem dinheiro, que fique claro. O que não significa que eu tenha, porque desde o dia em que a minha rebeldia falou mais alto e decidi sair de casa, o que é deles é deles e o que é meu – se é que eu tenho alguma coisa – é meu. Separação total de bens.

Cheguei lá com vestido lindo de uma grande amiga minha. Virou minha amiga exatamente dessa forma, quando pedi pela primeira vez, uma roupa emprestada dela. Prova de amizade, na minha opinião. Confiança na pessoa. Enfim, cheguei abalando e de nariz empinado, ninguém precisava saber que eu estava na merda.

Sentei a mesa com a minha família, uns queridos, principalmente a minha irmã. Talvez a única que eu realmente sinta falta. Conversamos, relembramos o passado. Mas a noite estava passando lentamente, pois a música que tocava era realmente boa para os que tinham acima de setenta anos. E eu, graças a Deus, ainda não cheguei nem na metade do caminho.

Fui ao banheiro e no corredor esbarrei com um homem digno de me deixar com os queixos caídos, moreno, alto, olhos verdes. A barba estava feita exatamente do jeito que eu adorava e o seu terno em tom grafite me fazia sentir calor. Eu não sou de jogar fora, antes que me perguntem como eu conseguiria ficar com um homem desses. E também já estava um pouco bêbada, a essa altura.

Foi rápido, nos olhamos por alguns segundos e ele já veio em minha direção. Conversamos por exatos treze minutos e já me vi encostada na parede do banheiro masculino, sentindo as suas mãos por todo o meu corpo. Pegada boa, e sua barba roçando em meu pescoço... Resultado: me apaixonei.

Depois disso, enfim tivemos uma conversa mais decente. Perguntou de que família eu era. Falei a verdade. Aí perguntou o que fazia da vida. Menti. Perguntou onde eu morava. Menti também. Se interessou por saber qual era o meu carro. Menti de novo. Por fim, quando só faltava ele me perguntar qual era o saldo da minha conta bancária e eu pude perceber que ele não devia pertencer aquele mundo e que eu havia mentido em praticamente todas as perguntas, a minha sobriedade voltou.

Ele pediu o meu número e eu pensei: interesse da parte dele, pura mentira da minha. Sei pouco de relacionamentos, mas não sou tão idiota para saber que são dois itens que devem passar longe de uma relação. Dei meu número errado e fugi daquele lugar. Pelo menos os meus princípios eu não perdi, isso deve valer alguma coisa - bem mais do que a minha conta bancária.

Comente com o Facebook:

40 comentários:

  1. Adorei o texto, muitas coisas em comum comigo, como minha família tem dinheiro, mas eu não, afinal resolvi sair de casa e minha mãe surtou...

    Confira o Esmalte da Semana. É um esmalte cremoso, bem brilhoso, secagem ultra mega rápida e preço super camarada =D

    Beijinhos de luz =***

    Cllara Maranhão ʚɞ
    http://cllaramaranhao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Pessoal que você quer dizer? Partes sim, partes não! Adoro misturar detalhes meus e detalhes fictícios :) E nunca saberão quanto de mim tem nesse texto! hehe

      Excluir
  3. Olá!!! Cheguei aqui através de blogs amigos, e tô adorando o conteúdo do blog, tô seguindo! :) Ahhh e sobre o post, independência=liberdade! Invista nisso!
    Bjos! :*

    http://diariodabrunet.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. OWHNN! *-*
    Nossa, amei demais! (como sempre! hahahah)
    Serio, vi uma menina totalmente rebelde nesse conto! Viajei nele!
    PS: Tem uma surpresinha para você no meu blog! Espero que goste! hahaha
    Beijinhos, nega
    Jennifer
    http://queridamaiscafe.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? Acho ela bem decidida, apesar dos problemas! rs
      Vou lá correndo ver!! =)

      Excluir
  5. Me identifiquei com alguns detalhes desse texto! Muito bom como sempre! :D

    osdetalhesdeumavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Menina como eu amei esse texto! A gente nunca pode perder a nossa dignidade! Tchau pras pessoas interesseiras rsrs

    Beijinhos, Garota Inocente

    ResponderExcluir
  7. Gostei muuuuuito! Olha, acho que se as pessoas pudessem conservar a dignidade e os princípios, por pior que seja a situação (ou por mais tentadora que seja!), as coisas seriam muito melhores!

    Parabéns pelo texto! Um beijo!
    www.kvcomvoce.com

    ResponderExcluir
  8. São coisas muito diferentes,o mundo do dinheiro e o mundo da dignidade.É um assunto bem interessante.E você escreveu de forma tão boa de ler.Parabéns,eu amei!

    beijos

    http://psicodoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adorei demais esse conto, é horrível essas pessoas interesseiras né, da uma raiva, ainda mas pessoas que se aproxima da gente querendo algo em troca.
    Beijinhos
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Amei o texto! As vezes não conhecemos direito os sentimentos das pessoas e é bom demais se surpreender para o bem. Ótima Quarta, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Ai, Carol, como amo seus textos!
    Achei tão incrível!!! O modo como ela se aventurou e tomou sã consciência. HAHA Lembrei de mim. *-*
    Estou apaixonada cada vez mais por seus textos! hahaha
    beijão.

    http://oicarolina.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Ela é tão louca e decidida!! rs
      Obrigadaaaaa, amo ler isso!

      Excluir
  12. Amei seu texto Carol *-* Você escreve muito bem!
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Carol, amei o seu texto. Sua escrita é cativante, nos prende do início ao fim. Amei a história e já vou ler outros textos agora mesmo rs. Você já tem um livro? Se não tem, corre atrás linda, pois você tem muito talento.

    Beijos.

    www.doceabril.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownn, lê sim! E me diga o que achou, por favor ta? :)
      Não tenho, e não fala assim que eu acredito hein e me deixa toda boba! rss

      Excluir
  14. Ameii!! Sério tem horas que eu disse: UÉ ela tá falando de mim? Perfeitoo
    http://www.momentosassim.com/

    ResponderExcluir
  15. HAHA, demais o texto. Amei mesmo, o enredo foi ótimo, merece livro ein? *-*

    http://senhoritapriscila.blogspot.com
    Participe do Sorteio do blog, Kit O Boticário. Clique!
    Participe do Sorteio do blog, 5 películas Protector Nail. Clique!
    @priscilafrr,
    beijo.

    ResponderExcluir
  16. kkkkkk
    Mentiu em todas e eu rachei de rir aqui, principalmente, porque eu, esperando que fosse passar o telefone, mentiu também hahaha
    Foi muito bom o texto!

    Identidade Aleatória
    Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tinha parado pra pensar por esse lado sabia?? rs
      Mas foi uma mentirinha por boa causa vai? Obrigada!

      Excluir
  17. Achei esse texto tão fofo e lindo. As mentirinhas foram engraçadas.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  18. Nossa adorei o texto mesmo, só fiquei encucada com o súbito interesse dele de querer saber o seu carro?
    Boiei total...
    Me pareceu um pouco de interesse da parte dele..
    Mais emfim, um ótimo texto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá querida! Como já comentei aqui, passando pra te desejar um ótimo final de semana! Beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Tô amando ler seus textos.
    São todos reais?
    Beijos, Aline
    http://24diasdeprimavera.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura?? Ai que coisa boa! rs
      Todos tem um pingo de realidade e um pingo de ficção!

      Excluir