Pular para o conteúdo principal

Vou permanecer quietinha.


Vou continuar e deixar tudo dessa mesma forma. Não vou mudar os móveis de lugar, muito menos pintar a parede com a minha cor preferida – já que é a sua que está lá. Não vou tirar o pay per view da TV, porque eu também gosto de assistir aos jogos de futebol. E também não vou comprar uma cama menor, apesar de achar que essa parece muito maior sem você aqui.

Não vou mudar meus costumes, não vou mudar o que eu sou, o meu canto, a minha vida. Ela era assim, sabe? Antes de você chegar. Você acrescentou detalhes seus, você me ajudou a me descobrir, você me fez companhia. Mas nunca foi o centro do meu mundo. Tento me lembrar disso a todo segundo, para que eu tenha certeza de que logo tudo vai voltar a ser como sempre foi. Antes de você.

E por mais que de vez em quando eu tenha algumas recaídas bobas, tenha vontade de pintar a tal parede de preto - só para fazer drama - e de sair desse país, vou permanecer quietinha. Chorar só a noite antes de dormir, estrangular só o ursinho que você uma vez me deu. Sou boa menina, você sempre me dizia. Cismava em dizer para o mundo inteiro que eu era muito cabeça no lugar, muito sã. Não vou te decepcionar, prometo. 

Comentários

  1. Crie qualquer coisas menos expectativas rsrs beijos

    ResponderExcluir
  2. Vim conhecer seu cantinho, amei e já estou seguindo :)
    Venha me visitar e aproveite pra participar do sorteio de aniversário do blog.

    beijinhos ;*
    http://noostillo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que dorzinha no coração, viu. Mas eu sou bem assim também. Prefiro sempre ficar quietinha, na minha. Ser revoltado demais com o mundo, exibir demais em formas de rebeldia... nunca foi muito a minha praia.
    Você escreve bem demais!

    Um beijo
    www.kvcomvoce.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, as vezes sofrer calado é melhor mesmo... Obrigada!! :)

      Excluir
  4. As vezes só deixar as coisas como está é a solução. Melhor que mudanças... as vezes.
    LINDO TEXTOOOOO.
    BEIJOOS
    http://oicarolina.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Muito bom esse texto, tem que continuar a vida né, não se deve mudar só porque uma pessoa saiu dela, dificil mas não impossível rs
    Beijinhos
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Aí, aí... Exatamente isso!
    Dá uma passadinha?
    http://comportamentorosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Aihnnn que lindoo esse texto!!!!! *-*
    Se já sabe né? AMEI!
    Sabe qual ele me lembra? Aquele texto seu que eu publiquei no meu blog. Nao em questão da historia, mas parece uma continuação! hahahaha Tive esse impressão! hahaha
    Beijinhos, querida!
    Jennifer
    http://queridamaiscafe.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora que falou, realmente né?? rs Aquele foi mostrando a vida dela antes, esse depois que ele se foi. E afinal, a vida realmente existia antes dele né? Adorei a sua percepção! hehe

      Excluir
    2. Hhahahahahaahh!! Aham!
      Mas mesmo assim, o texto ficou encantador!
      Beijinhos, nega!

      Excluir
  8. Algumas vezes, a melhor forma de resolver as coisas é deixar como estão e que tempo se resolva. Parece estranho, mas é verdade.
    Eu conheci o seu blog, pela Carol (do blog OiCarolina) e achei seu blog apaixonante. Voltarei mais vezes.. <3

    Beijinhos.
    www.november92.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho sabia? Dar tempo ao tempo...
      Ah que fofa!! Obrigada, volta sim!! Vou conhecer o seu tb!

      Excluir
  9. Tudo pode ser superado. É só uma questão de tempo.

    Beijos.

    http://manuellamontesanto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Muito lindo mesmo, amei o texto! Realmente é uma questão que eu preciso, é superar uma pessoa, mas só ir deixando o tempo mesmo :) Beijoo

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Carol, acho incrível a maneira como algumas escritoras conseguem me traduzir em seus textos ou livros. Você é uma delas, eu acho. Adoro sentir que sou a "personagem" da crônica, isso me possibilita conhecer mais de mim mesma também. Adorei este texto, ainda que eu não saiba exatamente como reagiria se perdesse alguém que amo e tivesse de organizar minha vida toda. É claro que pressupõe-se que nossa vida não muda depois de um adeus, mas acho que teoria não serve quase nada para a prática. Vivenciar tal episódio é completamente diferente de apenas ler sobre ele - e talvez, a pessoa que o escreveu nem mesmo o vivenciou para passar a real sensação dos sentimentos.
    Como sempre, você é ótima na escrita! :)
    Love, Nina.
    http://omundocoloridodanina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus comentários aqui sempre me deixam feliz, sabia?
      E sem dúvidas, isso que escrevi acontece com uma pessoa. Com todo o resto do mundo, cada um acontece de uma forma. É assim na vida real.
      Os textos servem para que nos identifiquemos com partes, raramente com ele todo!
      Obrigada pelo elogio! :)

      Excluir
  12. É difícil manter nossa identidade, o jeito de viver, quando alguém importante sai de nossa vida... Ótima Semana, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Você me descreveu neste texto.
    Sou dessas que se passa por certinha, mas que estrangula o ursinho para extrapolar as dores do peito!

    Um beijo,

    http://algumasobservacoes.blogspot.com.br/
    http://escritoshumanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que você quer?

Depois de muito tempo sendo apenas passageira, vivendo totalmente sem rumo e sem um lugar para voltar, eu preciso de algumas certezas. Coisa boba, do tipo, o que você quer no momento? Digo, comigo. Com a vida. Com o amor. Está tudo envolvido, espero que saiba. Tudo ligado, mas também facilmente desligado, se for necessário . É que o seu jeito é uma junção de tudo que eu adoro, mas o meu jeito extrovertido é o que mais chama atenção em mim. O seu sorriso é lindo, mas o meu vive sendo elogiado também. Os seus olhos são claros e vivos, mas o meu são brilhosos e me revelam muito facilmente. Gosto do seu estilo e também do meu. A questão é que, todas essas coisas são superficiais ao mesmo tempo em que denunciam logo quando tem algo errado com a gente, já percebeu? Não quero sofrer novamente. Não quero me fechar, não quero perder o meu sorriso, não quero que as lágrimas inundem o meu rosto e principalmente, não quero passar a voltar a usar moletom. E engordar, me afundar, embara

Não estou indo para a forca!

Hoje o dia acordou cinzento e ensopado. Isso é diretamente responsável por 30% do meu mau humor matinal, tem coisa mais desanimadora do que acordar cedo no frio e com chuva? Liguei o chuveiro na temperatura pelando e sem pensar em horário, tomei um banho longo com o intuito de relaxar. Fiz um coração (e ainda escrevi a letra P) no espelho embaçado por causa do calor e após me arrumar, desci para tomar o meu café da manhã. Mamãe me deu um bom dia animado – mais que o normal. Papai apenas olhou para mim e sorriu de lado. E a minha irmã a essa hora ainda nem tinha levantado. Na televisão falava sobre exercícios importantes para o cérebro se manter ativo. Descobri que o meu deve estar para lá de sarado, porque a dica número um é ler . Enquanto o meu pão esquentava, eu arrumava a minha mochila para o longo e novo dia que estava por vir. Peguei o meu fone, “A Última Carta de Amor”, livro que estou lendo no momento e a minha carteira. Basicamente é disso que eu preciso. O celular já estava

2013

2013 . Quem se atreve a dizer que foi o melhor ou pior ano da sua vida? Se você consegue, sorte a sua! Para mim, confesso, ainda não consegui nem me decidir se foi um ano bom ou um ano ruim. Foi um dos anos que mais aconteceram coisas, muitas surpresas, decepções, novidades, recomeços...  Percebi que foram 365 dias bem divididos entre dias maravilhosos e dias tristes. E em cada área da minha vida tudo foi acontecendo de uma forma diferente da que eu esperava. Eu achei que em certo ramo estava estável e muito bem resolvida, mas exatamente nessa a vida me deu uma rasteira braba. Onde eu desejava tanto que algo acontecesse, não vi mudanças. Batalhei por objetivos que não foram alcançados, mas fui recompensada com surpresas incríveis.  E hoje eu posso ver que sobrou um imenso aprendizado. Aprendizado da vida, de mim mesma, das pessoas. Foi o ano em que mais fui exigida! Emocionalmente, com certeza. Mas também nas minhas responsabilidades, nas minhas relações, na minha mente